30 de junho de 2016

Quanto a UNE está pagando a Waldir Maranhão?

O deputado federal e presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão, vai tentar barrar a CPI da UNE. Ele já vem adiando a instalação dessa comissão desde o mês passado, mas parece que agora a sua parceria com Flávio Dino, do PCdoB, que é governador de seu estado, vai pesar a favor da UNE.

Maranhão já tinha se tornado famoso por sua patética tentativa de reverter o processo de impeachment de Dilma, no mesmo dia em que assumiu o posto de presidente da câmara. Sua fama ficou ainda maior quando, no mesmo dia, ele recuou em sua decisão, ciente de que ela não seria acatada pelo Senado de maneira nenhuma. Agora o deputado se esforça para proteger a União Nacional dos Estudantes, conhecida entidade que serve apenas ao propósito de proteger Lula e Dilma ou qualquer infeliz da extrema-esquerda.

Quanto dinheiro da UNE está indo para Maranhão? Obviamente a tentativa de barrar a CPI não é mero acaso, sobretudo porque a UNE certamente tem muito a esconder. Se as doações feitas pelo governo à entidade foram astronômicas publicamente, podemos ter uma vaga ideia do que rolou por baixo dos panos.

Para alguém como Carina Vitral, que apoia um ditador homofóbico do país vizinho, se aliar a Waldir Maranhão é pouco mesmo.


Extrema-esquerda e fascismo: Uma estreita relação

O autor Jonah Goldberg, americano, fez um excelente trabalho em seu livro "Fascismo de Esquerda: A história secreta do esquerdismo americano", onde compilou dados históricos sobre o envolvimento de diversas figuras da esquerda com os movimentos fascistas, além da admiração que estes recebiam daqueles antes do holocausto, quando oficialmente o fascismo "se tornou feio".

Mesmo evitando os anacronismos e as comparações mais reducionistas, nada é hoje tão próximo do fascismo tradicional de Mussolini quanto os movimentos revolucionários de esquerda. Apesar de bradarem, hoje, que a direita é um fascista, é o PSOL que possui mais similaridades com o Partido Nacional Fascista da Itália.

A alegada busca por um "mundo melhor" é uma das semelhanças que os jovens fascistas têm com os antigos. Sabemos que isso é conversa fiada, mas é através dessa conversa que hoje em dia os proto-revolucionários de boutique angariam seguidores. O discurso "progressista" de hoje, entretanto, é idêntico ao discurso fascista do passado. Mussolini também dizia lutar por um mundo melhor e - pasmem! - defendia que os inimigos, aqueles que se opõem a esta mudança de mundo, fossem todos aniquilados.

Acaso isso não lembra um certo discurso de Mauro Iasi, proferido no ano passado, quando ele disse que a direita precisava ser combatida sem diálogo, mas com "uma boa cova e uma boa bala"? E que tal lembrarmos de ativistas de movimentos LGBT de esquerda, em uma comissão da câmara, dizendo que pegariam em armas para matar evangélicos se fosse necessário? Vale lembrar, também, que Jean Wyllys (PSOL) estava logo ao lado e aplaudiu a fala.

Todo esse discurso revolucionário, feito para engambelar adolescentes mimados e entediados, é apenas um reaproveitamento do que fez Mussolini e tantos outros fascistas no passado. As promessas de "um mundo melhor" servem para justificar qualquer atrocidade, que podem ir desde black blocs ateando fogo em um Fusca velho de um homem pobre até os disparos de arma de fogo, feitos contra jovens que protestam contra o governo de Nicolas Maduro, na Venezuela.

Outra coisa importante é que Mussolini foi, de longe, um dos maiores idólatras do Estado enquanto instituição que o mundo já viu. Os socialistas modernos, por sua vez, seguem o mesmo exemplo, apesar de se dizerem anti-fascistas o tempo todo. Defendem aumento das cargas tributárias, apoiam qualquer medida de intervenção do governo na iniciativa privada e, de modo geral, sempre aprovam qualquer tipo de estatização de qualquer setor da sociedade. Em casos mais extremos chegam a apoiar e até a propor medidas de censura à liberdade de expressão, como tentaram fazer através de um projeto de lei há alguns anos aqui no Brasil que pretendia diminuir a liberdade de imprensa.

Quando jornalistas cobrem fatos que não interessa aos neo-fascistas que sejam cobertos, estes agridem aqueles, até mesmo fisicamente. Quando alguém age de modo oposto ao que é por eles desejado, este alguém é tratado com escracho, raiva e até mesmo histeria coletiva. É certo que os tempos mudaram, mas os fascistas de hoje são apenas rostinhos mais sorridentes. Em geral, são até piores que os primeiros fascistas, pois são muito mais dissimulados, fingem que são pessoas "do bem" e adoram escrever "muito amor S2" na internet enquanto praticam o ódio e a discriminação contra quem lhes convém.


Em Guarulhos, REDE faz coligação com PSC - O que isso significa?

Os partidos, ao menos nacionalmente, são extremos opostos. REDE é o partido de Marina Silva, ex-petista, ex-CUT, alinhada à extrema esquerda. Marina é tão esquerda que saiu do PT porque, segundo ela, Lula esquerdou pouco. Ela é tão radical à esquerda que cogitou colocar membros do Coletivo Fora do Eixo no Ministério da Cultura, caso viesse a se eleger. PSC, no entanto, se posiciona à direita conservadora, ao menos é isso o que vem mostrando nos últimos dois anos.

PSC é, atualmente, partido de Jair Bolsonaro e Marco Feliciano, dois dos nomes mais fortes da bancada conservadora no Congresso. Marina é o inverso disso, sendo provavelmente o maior nome hoje para suceder os petistas no governo de extrema-esquerda. No entanto, nada disso impediu que os líderes municipais dos dois partidos se aliassem. É bem provável que tenham trocado favores em virtude do tempo de propaganda eleitoral na TV, algo comum em todo o Brasil.

A bizarrice foi questionada por alguns militantes da base da REDE, mas não pelos militantes do PSC. A questão aqui é simples de entender, na verdade. O REDE está, lá em Guarulhos, usando o PSC para aumentar a coligação e ganhar poder, e o PSC municipal está completamente alheio ao mundo real. A causa disso pode ser o histórico do partido. Não custa lembrar que, até março de 2014, PSC era base petista e ajudava o governo de Dilma e Lula. Tanto é verdade que Marco Feliciano (que também defendia Dilma) assumiu cargo na Comissão de Direitos Humanos da Câmara, em 2013, por causa das parcerias entre os dois partidos.

Essas coisas bizarras acontecem às pencas em cidades menores, e isso é causado justamente porque os partidos que não são alinhados à esquerda parecem compostos por bobos despreparados. É bem provável que o PSC de Guarulhos ainda esteja com as mesmas pessoas que o comandavam há quatro anos, quando o partido era base de Dilma no Congresso. Muito provável, também, que o próprio PSC a nível nacional não esteja devidamente preocupado com as cidades, pois aparentemente a preocupação maior do momento é escrever "Bolsonaro Presidente" e fazer pré-campanha com mais de dois anos de antecedência.

Infelizmente, o PSC não é o único a cometer esse tipo de equívoco. O PSL, partido recém tomado por uma iniciativa liberal, sofreu com o mesmo problema em Goiânia, quando o partido em sua esfera municipal anunciou parceria com o PT. Entretanto, neste caso a cúpula nacional fez o que tinha que fazer: entrou em contato e impediu que tal aliança ocorresse, e pouco tempo depois publicou um novo regimento proibindo esse tipo de coligação com partidos de esquerda. Agora é esperar para ver se o PSC terá a mesma postura ou se fará vista grossa.


Quem escracha os íntegros está do lado dos criminosos

Conforme postagem feita hoje pela manhã, a Dra Janaína Paschoal, autora do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, foi atacada por uma manada de petistas raivosos no aeroporto de Brasília. Vendo o vídeo, dá para imaginar o que poderia ter acontecido se não houvesse mais gente ali. Mesmo diante de um monte de testemunhas alguns tentaram agredi-la fisicamente.

Esse tipo de coisa tem sido comum: o escracho. E não são só os petistas que o fazem, naturalmente. Dias atrás o deputado da linha auxiliar do PT, Jean Wyllys, estava em um restaurante junto com outros políticos da base petista, comendo algumas iguarias no exterior, quando um homem começou a xingá-los. Também fizeram isso com Guido Mântega e outros políticos ligados ao PT em diversos locais, bem como fizeram com o petista José de Abreu, que rendeu o caso da cuspida.

O ponto, aqui, nem é criticar o escracho em si. Algumas pessoas merecem mesmo ser escrachadas por seus crimes e por suas posturas nefastas. No entanto, escrachar pessoas íntegras, honestas e que estão lutando por um estado de coisas um pouco melhor é, sem dúvida nenhuma, exclusividade de quem é criminoso ou cúmplice. Aqueles que escracham Janaína são eleitores do PT, e provavelmente muitos deles devem ter seu rabo preso em alguma estatal. Certamente não são pessoas honestas e íntegras, mas larápios de menor potencial. O fato de serem pequenos ladrõezinhos faz com que se compadeçam dos grandes ladrões, até porque é isso que mantem uma cleptocracia como a que se instaurou no país.

Quem escracha Sérgio Moro ou Janaína Paschoal certamente é gente que deve na praça, que falsifica o cartão ponto no serviço público, que vai ao médico fingir que está doente para pegar atestado. São pessoas que conseguiram um emprego, muitas vezes até medíocre, por serem apadrinhados de algum prefeito ou vereador qualquer, ou porque trabalharam na campanha eleitoral de alguém, dentre outras pequenezas feitas por indivíduos com mentalidade golpista, mas sem poder suficiente para incomodar um país inteiro. Quem escracha os honestos são os desonestos.


Janaína Paschoal é atacada por turba petista em aeroporto.

No aeroporto de Brasília, na manhã de hoje, a autora do pedido de impeachment e doutora em direito Janaína Paschoal foi agredida verbalmente por uma turba de petistas raivosos. No vídeo logo abaixo, em certo momento, dá a impressão de que tentaram ir para cima dela, provavelmente para agredi-la fisicamente, mas ela foi protegida por outros passageiros não ligados ao PT.


Esse tipo de coisa só reforça minha tese de que não há a menor possibilidade de diálogo com essa gente. A extrema-esquerda é intolerante e agressiva, é violenta. Em muitos casos, pessoas teriam sido espancadas e talvez mortas por turbas como essa se não houvesse mais gente ao redor ou câmeras filmando. Nem todos que votam no PT são bandidos, alguns podem até ser pessoas iludidas com a boa propaganda do partido. Mas todos aqueles que militam dessa forma pela causa certamente estão ali por interesses próprios.


ARTIGOS RELACIONADOS

Perícia do Senado: "Laudo não isenta Dilma", diz perito.

Diego Prandino Alves, um dos três peritos do Senado no processo de impeachment, afirmou que o laudo apresentado na segunda feira, dia 27, não teve a finalidade de isentar Dilma de sua responsabilidade quanto às 'pedaladas fiscais', mas apenas de dizer que não encontrou evidência de sua participação ativa. Ela, na posição de Presidente da República, tem suas responsabilidades e pode ter perfeitamente se omitido, o que também a torna culpada.

O perito diz, de maneira bastante clara, que a perícia não isenta ninguém de responsabilidade alguma, e que tudo o que foi feito tem a ver com a busca de evidências técnicas. Isso nos leva a outros fatos, como a cobertura da imprensa que é sempre sensacionalista à esquerda, tendendo a beneficiar Dilma, seja por intenção ou por mero costume. Além disso, no que tange às fraudes fiscais praticadas por Dilma, ela é ré confessa, e o próprio Lula já admitiu que elas aconteceram.


ARTIGOS RELACIONADOS

29 de junho de 2016

Olimpíadas do Rio viram piada internacional!

O apresentador Stephen Colbert, da CBS, levou ao seu programa de TV algumas notícias no mínimo vergonhosas sobre as olimpíadas do Rio de Janeiro, que ocorrerão em dois meses. No vídeo, que foi legendado por meu amigo Luiz Souza, o apresentador tira onda com as mais bizarras notícias sobre criminalidade, greve da polícia militar, zika vírus e as águas imundas da Baía de Guanabara, entre outras coisas vexatórias sobre o nosso estado de calamidade.

Vejam o vídeo. Ele não requer explicações.

video

Sinceramente, se essas Olimpíadas acontecerem sem incidentes graves será um milagre. O estado das coisas nunca foi tão ruim assim, e parece que só vai piorar. Não dá para imaginar uma cidade em que furtos e assaltos acontecem às centenas todos os dias sediando jogos desse porte, com a presença de milhares de turistas.

Não foi por falta de aviso.



Inflação, desemprego, empresas falindo - Este é o saldo do petismo.

Quando falamos em índices de inflação e desemprego, normalmente, citamos números aqui, números lá, percentuais e um monte de dados que, aos olhos e ouvidos leigos, não significam nada. Acredito que a maneira certa de se falar no assunto é individualizar a questão, trazendo-a para além da pura matemática.

O desemprego de 11,2% registrado no último trimestre é mais do que um mero número na calculadora, trata-se de gente passando necessidade, vendendo móveis para pagar a comida, atrasando o pagamento das dívidas da casa e eventualmente até mesmo tendo que sair de uma casa para outra em virtude do aluguel caro. Podemos inferir, sem medo de errar, que esses números se traduzem em Dona Maria se desfazendo de sua moto para poder pagar pelo tratamento médico, ou então Seu João deixando de pagar a conta de água e esgoto para poder pagar a compra no mercado. É a Andreia largando a faculdade porque não consegue mais pagar, ou o Muriel vendendo sua guitarra e se desfazendo dos seus sonhos para ajudar a avó a comprar remédios.

Isso é o que significam os 11,2% de desemprego do último trimestre, assim como os números da inflação significam, muito mais do que números. Inflação é a perda de poder de compra de nossos vizinhos, de nossos amigos, de nossos pais e mães. O governo, lá na capital, mandou imprimir um monte de dinheiro para pagar dívidas, e isso resultou em uma idosa comprando menos carne para o mês, ou em um garoto deixando de comprar a camisa que queria para poder pagar as parcelas do carro recém comprado.

Ao falarmos os números, muitas vezes, esquecemos que o saldo disso tudo é a qualidade de vida, sobretudo das pessoas de mais baixa renda, aquelas que estão na base da pirâmide social e não têm para quem repassar suas mazelas. E tudo isso a troco de quê? De esquemas monstruosos de corrupção, de uma imensidão de dívidas feitas irresponsavelmente para pagar as campanhas de um ou dois partidos. A Dona Maria vendeu sua moto para pagar as prostitutas de José Dirceu, ou para pagar a compra do sítio em Atibaia. Foi em nome das viagens de Dilma regadas a champanhe e hotéis caríssimos que o seu amigo perdeu o emprego no mês passado, ou que sua irmã teve que se desfazer do celular novo para pagar a fatura da energia elétrica que também ficou mais cara.

Sim, eu sei, muitos vão dizer que a culpa não é só do PT. E não é mesmo. É dele e de todos os seus aliados, que ajudaram o partido a conquistar poder para que pudesse raspar até as últimas moedas das contas públicas. Hoje temos uma economia em frangalhos por causa desse tipo de gente. E uma economia em frangalhos significa apenas mais gente passando apertos financeiros - e sempre gente pobre.



Apoliticamente Incorreto - Outro ensaio sobre política.

Em fevereiro deste ano lancei meu ensaio sobre política, o "Bolas Quadradas", e obtive certo alcance com ele. A ideia de publicar um breve ensaio foi apenas para dar aos meus seguidores um prelúdio para o livro que estou escrevendo, ainda relativamente longe da conclusão, e também para oferecer um pouco de minhas ideias gratuitamente.

Eis que Octávio Henrique, o mesmo que fez a revisão em meu ensaio, se inspirou na ideia e resolveu lançar também um pequeno livro chamado "Eu, Apolítico - Pensamentos e Palpites de um Blogueiro Apoliticamente Incorreto." Seu livro foi prefaciado por Luciano Ayan, parceiro do Modo Espartano, e foi editado por mim. Também me encarreguei de fazer a capa.

Esta obra é simples, é direta, mas é ao mesmo tempo um ataque na jugular. Embora não concorde com tudo o que nela está dito, não posso deixar de dizer que Octávio soube analisar a realidade política de maneira muito mais madura e sóbria do que qualquer intelectual brasileiro até o momento. O que temos em nosso país, ainda, é uma direita retranqueira, sempre atuando na defensiva, ou o seu extremo oposto, que é a direita boquirrota, falastrona e atrapalhada. São raríssimos aqueles que entendem a política como uma disputa de interesses, como jogo de narrativas, como controle de timing e rotulagens, etc. Mesmo grandes intelectuais brasileiros, autores de livros bem vendidos, parecem buscar sempre a alternativa contrária àquela que surte efeito, normalmente apelando a um senso de moral que não serve para coisa alguma.

O prefácio feito por Luciano Ayan, aliás, descreve exatamente o que penso sobre o cenário político atual e sobre os ensaios de Octávio Henrique. Por isso, hoje, recomendo a leitura deste breve livro. É muito útil. E dentre os capítulos, gosto especialmente de "Os conservadores e a mulher de César."






Porta dos Fundos recebeu mais de R$ 3,5 milhões pela 'Lei do Audiovisual'

O canal de humor Porta dos Fundos, que na realidade é a empresa chamada Porta dos Fundos Produtora e Distribuidora Audiovisual S.A., captou junto a Lei do Audiovisual mais de R$ 3,5 milhões de reais. O projeto é o filme da própria produtora, Contrato Vitalício, que está para ser lançado amanhã. A informação pode ser conferida diretamente no site da ANCINE.

Nada de muito surpreendente. Isso nem é notícia nova. A questão que quero levantar aqui, no entanto, é outra. O Porta dos Fundos é, de longe, o mais bem sucedido canal de humor que surgiu no Brasil desde o Casseta & Planeta dos anos 90. A produtora mantém esquetes semanais no Youtube há anos, desde o começo com uma adesão enorme do público. O canal já foi duramente atacado por seus posicionamentos políticos e religiosos, mesmo assim se mantém firme e forte, a audiência parece até crescer mais a cada polêmica. 

Atualmente esse canal tem mais de 12 milhões de inscritos e qualquer vídeo lançado passa de um milhão de acessos em questão de horas ou dias, se muito. Além disso, o elenco conta com pessoas famosas e até talentosas, como Rafael Infante, Fábio Porchat e Antônio Tabet, além de diversas participações especiais. A pergunta que fica, portanto, é a seguinte:

Há mesmo a necessidade de pedir verbas através de leis de incentivo?

A resposta nós já sabemos: não há!

Ao que parece, esse negócio de verbas culturais é puro vício. Frequentemente artistas que têm total capacidade para custear seus espetáculos e produções apelam a isso, sem a menor necessidade. Não consigo imaginar razões lógicas para tal, a não ser, é claro, a pura e simples falta de vergonha na cara. Tudo só comprova que temos um problema cultural por aqui. As pessoas não têm o hábito de procurar maneiras eficientes de bancar seus projetos, pois sabem que se conhecerem os caminhos certos podem facilmente ganhar tudo de mãos beijadas. Um canal como o Porta dos Fundos, se quisesse mesmo, poderia facilmente abrir um financiamento privado, certamente ganhariam doações de seus milhões de seguidores fiéis. A razão para não fazerem isso e buscarem o financiamento público é mera questão de "jeitinho brasileiro". Neste caso, um "jeitinho" legalizado.


Lei Rouanet: "Ministério da Cultura exercia uma fiscalização pífia ou nenhuma", diz procuradora.

A procuradora Karen Louise Jeanette Khan, do Ministério Público, afirmou em entrevista coletiva ontem em São Paulo que o MinC realizava fiscalizações pífias ou simplesmente não as fazia. Ela se refere, no caso, à captação de recursos pela Lei Rouanet, a lei de incentivo a cultura, através da qual, em tese, artistas sem possibilidade de captar seus próprios recursos ganham um incentivo financeiro para custear seus projetos.

Nem entrarei no mérito da questão por razões óbvias: sou contra a mera existência disso. No entanto, a Operação Boca Livre já vem tarde. As suspeitas envolvendo a Lei Rouanet remontam há muitos anos, desde que Maria Bethânia, irmã de Caetano Veloso (que é apoiador do PT, a propósito) recebeu a bagatela de R$ 1,3 milhão para - acreditem - fazer um blog. O caso virou notícia em 2011, foi publicado em grandes sites como Estadão e O Globo. A justificativa para tão alto valor, basicamente, é que o blog traria Maria Bethânia interpretando poesias em forma de vídeo todos os dias do ano, e a contratação de um 'famoso' cineasta encareceria a produção.

Um projeto desses, que obviamente não teria público para se sustentar financeiramente, só poderia mesmo ser aprovado por meio de uma lei que é, por si mesma, a perversão do conceito de Justiça. Não há qualquer justificativa meramente razoável para que tal projeto seja aprovado, ainda mais em se tratando de uma cantora que já possui fama e dinheiro. E este nem é o pior dos casos.

Em 2013, o Ministério da Cultura cedeu mais de R$ 1,5 milhão para produção de um filme sobre José Dirceu. A Tangerina Entretenimentos Ltda captou os recursos para a produção de "O Vilão da República", filme que contará a trajetória do ladrão desde os tempos de guerrilha até a sua prisão, em 2012. Basicamente, o que isso quer dizer, é que não basta roubar, tem que roubar de novo para contar como roubou.

Outros diversos projetos, todos com valores altíssimos (maiores até que os aqui citados), também já foram aprovados sem o menor critério, tais como "Shrek - O Musical", que recebeu quase R$ 18 milhões, ou como a turnê de de Luan Santana e os mais de R$ 4 milhões recebidos. A verdade é que a afirmação da procuradora não é exatamente uma novidade para muita gente, apenas confirma a suspeita antiga de que esta lei beneficia indivíduos que, de algum modo, conhecem os mecanismos da máquina pública ou que possuem conchavo com as lideranças no poder.

A Operação Boca Livre, se for adiante, ainda vai achar muito mais esqueletos no armário.


Fernando Haddad é citado em delação

O atual prefeito de São Paulo, aquele que dias atrás estava preocupado em tirar cobertores de mendigos para atender demandas da elite paulistana que o elegeu, foi citado em delação premiada por ter recebido R$ 30 milhões.

Na delação do ex-diretor da Andrade Gutierrez, Flávio Machado Filho, foi dito que João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT, solicitou o dinheiro para quitar dívidas referente a campanha de Haddad para a prefeitura de São Paulo, em 2012. Ainda segundo Machado Filho, "a dívida era de R$ 30 milhões. Também houve a solicitação de pagamento a outras cinco empresas, de modo que ficariam R$ 5 milhões para pagamento da Andrade Gutierrez."

Aparentemente, dentro do PT não vai sobrar ninguém. Se um dia a Lava-Jato acabar o partido não terá sequer alguém para sair e apagar as luzes antes de ir embora. A esperança será pedir para algum agente da PF realizar a função.


28 de junho de 2016

Dilma é ré confessa e nenhuma perícia irá provar o contrário!

Essa semana a perícia do Senado apontou não ter encontrado, supostamente, evidências de que Dilma Rousseff tenha praticado as tais "pedaladas fiscais", uma das denúncias que fazem parte do processo de impeachment. Como bem declarou Júlio Marcelo ao site O Antagonista, "uma fraude se caracteriza justamente pela dissimulação."

Dilma, no entanto, é bem menos dissimulada do que parece. Na realidade trata-se de ré confessa. Vamos ver?


Nessa postagem, publicada na página oficial da presidente, ela assume que "também pedalou", trazendo a tona a acusação de que os governos anteriores praticamente o mesmo crime. Claro que esta afirmação é falsa, porém, mesmo que fosse verdadeira, ela é de qualquer forma uma confissão do crime.

Esta não foi a única vez em que a quase ex-presidente declarou publicamente que praticou as tais "pedaladas". Há pelo menos outros dois momentos em que ela fez isso, e tem vídeo:



Aqui, mais uma confissão:



Nos dois vídeos acima, Dilma confessa ter praticado as "pedaladas fiscais", mas tenta justificar o crime com base em uma mentira: a de que fez isso para pagar os programas sociais do governo. A realidade é que o governo praticou a fraude apenas porque foi irresponsável e gastou mais do que arrecadou, além de ter desviado bilhões de reais dos cofres públicos. A fraude nada mais foi do que uma tentativa de esconder um crime ainda maior do povo, simplesmente assim. Você pode conferir mais nesta matéria do G1.

Todavia, Dilma não foi a única a confessar seus crimes. O ex-presidente Lula também fez isso por ela, repetindo exatamente o mesmo discurso. Veja:


Como você pode ver no vídeo acima, Lula alega, diante de membros da alta cúpula do partido, que a então presidente praticou as "pedaladas fiscais" para pagar os programas sociais do governo. O assunto, na época, virou notícia em diversos portais como Estadão e G1.

Se aquele que é o porta-voz e mentor de Dilma assume que ela pedalou, se ela própria assume que pedalou e se ninguém em seu partido negou Lula ou Dilma quando ambos afirmaram isso, então certamente trata-se de uma confissão. Quero ver é a perícia do Senado ignorar isso.


Feministas tentaram derrubar Thaís Godoy, agora com provas!

No mês passado publiquei por aqui o caso de Thaís Godoy, uma ativista anti-feminista, moderadora da página do Facebook chamada Moça, não sou obrigada a ser feminista!, que justamente denuncia e expõe os absurdos do movimento feminista radical. Ela foi processada por, basicamente, dizer suas opiniões. Obviamente esta perseguição é coisa da patrulha ideológica da extrema-esquerda, e disso não temos dúvida alguma. O ponto é que hoje recebi uma mensagem, de uma colega que prefere permanecer anônima, e que é no mínimo uma evidência de que esta perseguição contra Thaís era muito anterior a este processo.

Minha colega, que aqui chamarei pelo nome fictício de Mariana, me enviou a seguinte mensagem no Facebook:
"Roger, olha só isso aqui
(Print de tela*)
A moça tava pedindo pra mim denunciar o vídeo da Thais Godoy
Moça, não sou obrigada a ser feminista - LIBRAS
Vídeo que fiz para a página https://www.facebook.com/forafeminismo2/ explicando em LIBRAS algumas das razões pelo qual não sou feminista! ;)
youtube.com
faz tempo isso, é de março, mas eu só vi agora
E tem outras também que vou te mandar pedindo pra dennciar a Thais
tavam todas nas caixas de spam
se puder mantenha meu nome em sigilo pq eu ando com mtos problemas agora pra me preocupar com mais isso ainda
mas publique o assundo!!
não deixe essas desgraçadas fazerem isso"
Para que entendam melhor, minha colega, a Mariana, recebeu em sua página sobre feminismo no Facebook uma mensagem enviada por uma garota que pede para denunciar um vídeo de Thais Godoy no Youtube. A mesma mensagem também envia o link de uma postagem da página de Thais, que já foi deletado, provavelmente até pelas denúncias feitas. O print que minha colega enviou é este:


Mariana me informou que não havia visto essa mensagem antes, apesar de ela ser de março, porque foi para a caixa de spam da página. Todavia, tal ato mostra que houve a clara organização de um movimento contra Thais. É provável que esta mesma mensagem tenha sido mandada a diversas páginas sobre feminismo, na esperança de que estas divulgassem e as denúncias ocorressem em massa. Minha colega, a que enviou o print, é administradora de uma pequena página chamada "Feminismo, Liberdade e Voluntarismo", que se identifica como libertária e contra o feminismo extremista da esquerda.

O vídeo de Thais no Youtube, que a tal Aline Medeiros pede para denunciar, é este:


Dando uma rápida averiguada no perfil da tal Aline Medeiros no Facebook, encontrei seu Twitter e sua página no About.me. Aline se diz jornalista, é de esquerda e compartilha links de sites feministas. Encontrei, inclusive, uma matéria do G1 que se refere a uma jornalista "Aline Medeiros, 30 anos, que trabalha na assessoria do governo do Piauí", mas não consegui verificar se é a mesma pessoa.


ARTIGOS RELACIONADOS

DOSSIÊ | Marcelo Freixo


- Marcelo foi filiado ao PT de 1986 até 2005, quando saiu para o recém-criado PSOL. Em 2006 foi eleito deputado estadual pela primeira vez, sendo o mais votado do Rio de Janeiro. De 1993 a 1995, Freixo dirigiu o Sindicato dos Professores de São Gonçalo. (Fonte)

- Em 2010, em virtude de sua atuação na CPI das Milícias, o deputado Marcelo Freixo foi homenageado no filme Tropa de Elite 2, um dos maiores sucessos do cinema nacional. Dirigido por seu amigo pessoal José Padilha, reconhecido internacionalmente, o filme conta com o personagem "Diogo Fraga", interpretado pelo ator Irandhir Santos, que é inspirado no deputado. (Fonte 1) - (Fonte 2)

- Ainda em 2010, o diretor José Padilha apoiou Marcelo Freixo para a ALERJ, no entanto, em entrevista à Folha de São Paulo, o mesmo afirmou que "só existem pessoas de mentira nessa eleição." (Fonte 1) - (Fonte 2)

- Em julho de 2013, o servente de pedreiro conhecido como Amarildo desapareceu após ter sido detido pela polícia. Há suspeitas de que o homem tenha sido torturado e morto pelos policiais. Marcelo Freixo e outras figuras de esquerda aproveitaram o momento para deflagrar uma campanha em nome do pedreiro, foi o movimento "Cadê o Amarildo?". O objetivo inicial foi arrecadar doações em dinheiro e denunciar o suposto crime (até hoje o corpo nunca foi encontrado, mas há indícios contundentes de que a polícia tenha mesmo o matado). As doações, que deveriam servir para ajudar a família do pedreiro, composta por esposa e seis filhos, não foram usadas exatamente para isso. Comandado pela empresária Paula Lavigne, esposa de Caetano Veloso, um evento beneficente arrecadou cerca de R$ 310 mil. No entanto, apenas R$ 60 mil foram destinados à família de Amarildo, para comprar uma casa (de baixíssimo custo) e móveis baratos. Os R$ 250 mil restantes acabaram nas mãos de Marcelo Freixo, através do Instituto de Defesa dos Direitos Humanos, ONG ligada diretamente ao deputado. Até mesmo aliados de Freixo como Cidinha Campos e o site Brasil 247 denunciaram o caso. (Fonte 1) - (Fonte 2) - (Fonte 3) - (Fonte 4) - (Fonte 5) - (Fonte 6)

- Entre os idos de 2013 e 2014, em virtude das manifestações iniciadas em junho que sacudiram o país, houve o surgimento da tática black bloc, que na prática consiste em pessoas mascaradas irem para as ruas a fim de gerar conflitos, baderna e transtornos sem sofrer as consequências de seus atos. O PSOL, bem como o próprio deputado Freixo, desde o início deram apoio a esta tática, chegando a endossá-la até mesmo no site oficial do seu partido. Marcelo Freixo, em vídeo, chegou a dizer que "os black blocs estão construindo um mundo melhor". (Fonte 1) - (Fonte 2) - (Fonte 3)

- No início de 2014, durante protestos feitos pelos depredadores black blocs no Rio de Janeiro, um jornalista da TV Bandeirantes foi atingido por rojões lançados por alguns jovens inconsequentes. Santiago Andrade chegou a ser levado para o hospital, mas veio a óbito dias depois sofrendo morte cerebral. O caso, na época, com a investigação da polícia, levou ao óbvio: havia conexão direta entre os black blocs e o deputado Freixo, inclusive em ligações telefônicas que comprovaram a proximidade dele com os baderneiros. A ativista Elisa Quadros, a Sininho, ligou para o deputado tão logo os responsáveis diretos pelo rojão foram presos, e o mesmo teria oferecido assistência jurídica aos criminosos. (Fonte 1) - (Fonte 2) - (Fonte 3) - (Fonte 4)

- Ainda sobre os black blocs, há evidências de que Marcelo Freixo, outros integrantes do PSOL e até mesmo de outros partidos de esquerda financiavam diretamente o "movimento" dos mascarados. O rapaz que disparou o rojão contra o cinegrafista Santiago Andrade alegou ter reuniões frequentes no gabinete do deputado. O PSOL, bem como Freixo, no entanto, não apenas negaram estes fatos, também negaram o apoio que comprovadamente deram ao movimento, chegando até mesmo a deletar de seu site o texto escrito meses antes por Edilson da Silva. (Fonte 1) - (Fonte 2) - (Fonte 3)

- Em 2014, um suposto primo do deputado chamado Gustavo Montalvão Freixo, professor, foi acusado por alunos e pais de alunos de praticar "aulas extras" regadas a drogas sintéticas e bebidas alcoólicas. Seus alunos, todos na faixa dos 11 aos 13 anos, teriam participado inclusive de orgias sexuais. Há até mesmo a acusação de uma das alunas que teria supostamente feito sexo com ele durante a embriaguez. Gustavo foi denunciado formalmente e sofre processo. A polícia declarou não ter dúvidas de sua responsabilidade no crime, mas Marcelo Freixo nega qualquer relacionamento com o indivíduo. (Fonte 1) - (Fonte 2) - (Fonte 3) - (Fonte 4)

- No segundo turno das eleições de 2014, Marcelo Freixo declarou apoio à reeleição de Dilma, apesar de seu partido supostamente orientar a "neutralidade". (Fonte 1) - (Fonte 2)

- Em texto escrito para a Folha de São Paulo, José Padilha afirmou ser contra Aécio e Dilma, destoando da visão do seu amigo, o deputado Freixo. (Fonte)

- Já em 2015, Padilha declarou em vídeo e em diversas entrevistas que se chateou com o fato de Freixo ter apoiado Dilma Rousseff. Ele disse, inclusive, que acha negativo que um homem com a trajetória de Freixo se associe a bandidos. (Fonte 1) - (Fonte 2)

- Em setembro de 2015, no ímpeto de criar uma narrativa falsa sobre o assunto da redução da maioridade penal, o PSOL e o próprio deputado Freixo se uniram em uma campanha chamada "Eu confesso". A campanha consistia em contar, publicamente, delitos cometidos na infância e na adolescência e que, em virtude das leis atuais, não acarretaram em sua prisão. O projeto tinha como meta levar diversas pessoas a "refletirem" sobre o assunto, "botarem a mão na consciência". No entanto, toda a campanha foi pautada em embustes que tinham como real finalidade apenas melar o debate racional sobre o tema, inclusive levando o eleitorado a pensar que a proposta de redução da maioridade, se aprovada, levaria para a cadeia crianças que roubaram pirulito ou banalidades do tipo. (Fonte)

- Em novembro de 2015, o segurança pessoal de Marcelo Freixo foi assassinado a tiros próximo de sua residência. O policial militar Alexandre Murta, que trabalhava com o deputado, foi encontrado morto em um crime que inicialmente foi tratado como latrocínio, hipótese que foi descartada quando constaram que ele ainda estava com todos os pertences. Por conta de Freixo sofrer supostas ameaças de morte devido a CPI das milícias, criou-se a teoria de que o crime possa ter sido motivado por questões políticas ou por mera retaliação. O caso segue em aberto. (Fonte)

- Sobre o impeachment de Dilma Rousseff não há surpresa. Marcelo Freixo, que a apoiou durante toda a campanha eleitoral mesmo ignorando o estelionato, continua ao seu lado. Declarou abertamente que tanto ele quando seu partido não apoiarão a saída da presidente "em nome da democracia". (Fonte)

Conclusão: Freixo é um típico político do PSOL. Mentiroso, vive entre a imagem de bom moço e associações criminosas. Embora tenha feito um trabalho relativamente positivo ao denunciar as milícias, não fez nada mais do que um trampolim político para se eleger às custas disso. O caso Amarildo, porém, é o mais controverso. Quando é que o deputado irá explicar aos seus eleitores que sua ONG ficou com praticamente 80% do dinheiro arrecadado na campanha? Para quê o dinheiro foi utilizado, afinal?

Ciro Gomes é cúmplice de Lula, agora assumido!

O ex-deputado, ex-governador e ex-ministro Ciro Gomes, atualmente pré-candidato à presidência da República pelo PDT, tem sido considerado o símbolo de renovação da esquerda ao lado de Marina Silva.


Em entrevista concedida ontem ao Diário do CuCentro do Mundo, o coronel declarou com todas as letras que estaria disposto a "sequestrar Lula" para protegê-lo de uma "prisão arbitrária". Ele repetiu a mesma fala ao jornal O Globo, veja por si mesmo:
"Pensei: se a gente formar um grupo de juristas, a gente pode pegar o Lula e entregar numa embaixada. À luz de uma prisão arbitrária, um ato de solidariedade particular pode ir até esse limite. Proteger uma pessoa de uma ilegalidade é um direito disse Ciro ao GLOBO."
Isso tem um nome: Formação de Quadrilha, artigo 288 do Código Penal.

O que Ciro sugere, na prática, é que em caso de pedido de prisão do ex-presidente Lula, ele estaria disposto a proteger o criminoso das leis, ajudando-o a escapar da polícia e lhe conseguindo asilo fora da jurisdição das leis brasileiras. Para quem não sabe, as leis do país não têm validade dentro da embaixada de um país estrangeiro, mesmo que esta embaixada esteja dentro do Brasil. Caso essa ameaça de Ciro venha mesmo a ser concretizada, ela consiste em cumplicidade assumida com o crime.



É provável, no entanto, que o coronel não tenha culhões para fazer nada disso. Talvez ele só tenha dito coisa do gênero para chamar atenção e voltar a ser assunto nas principais mídias do país, além, é claro, de se tornar um "herói" para quem aprecia criminosos assumidos: a extrema-esquerda.

Ciro Gomes é mesmo incorrigível. Sempre foi um oportunista em busca de poder político.



ARTIGOS RELACIONADOS

DOSSIÊ | Ciro Gomes

27 de junho de 2016

Petição com 3 milhões de assinaturas para anular Brexit é FALSA!

Diversos jornais, brasileiros e estrangeiros, têm publicado desde sexta-feira a notícia de que há uma petição com mais de 3 milhões de assinaturas solicitando um novo plebiscito sobre o BREXIT, algo que é inconstitucional e completamente incomum na história britânica. No entanto, diversas informações concluem que a tal petição é uma fraude cometida por hackers e bots do 4Chan .

A BBC, um dos maiores veículos de comunicação do mundo, publicou a matéria como verdadeira, sem nenhuma preocupação em averiguar os fatos. Outros veículos de imprensa aqui no Brasil, ávidos para seguir a agenda política da esquerda europeia, simplesmente republicaram a matéria inúmeras vezes. Este foi o caso do UOL e do jornal Valor Econômico. Obviamente a Folha de São Paulo, empresa que faz publicidade para o PT e movimentos de esquerda, também publicou.

Tudo mentira!

Algumas fontes, inclusive muitas das que publicaram a notícia como verdade, já reconheceram a fraude. Ao que tudo indica a petição foi "sequestrada" por pessoas que defendem a permanência na UE, só que muitas delas nem mesmo são britânicas e nem vivem lá. Que haja uma fraude nessa petição já é certeza, ainda estão a investigar como ela aconteceu. O site Heat Street publicou uma matéria sobre o caso levantando a questão do uso de bots e scripts por hackers do 4Chan. 

Para quem não entende do assunto (como eu), uma explicação leiga para como isso funciona é que os tais bots são "programas" projetados para reproduzir uma ação repetidas vezes em uma velocidade maior do que um humano conseguiria operando a máquina. Bots são usados largamente na internet, seja em jogos online ou mesmo em divulgação de páginas de Facebook. Os scripts, por sua vez, são códigos simples desenvolvidos para operacionalizar a ação de modo eficiente. A suspeita foi levantada porque as assinaturas subiram em velocidade recorde em pouquíssimos dias, e há mai de 24 mil assinaturas da petição que sugerem IPs da Coreia do Norte, um país que sequer tem acesso a internet livre.

A BBC e o UOL já voltaram atrás e reconheceram que a petição é fraudulenta, mas ainda assim isso levanta, novamente, uma importante questão sobre o jornalismo dos tempos atuais. Aparentemente, no ímpeto inglório de publicar aquilo que interessa às suas agendas políticas, os jornalistas têm deixado completamente de lado a averiguação dos fatos.

Vamos pensar um pouquinho:

O Reino Unido tem cerca de 64 milhões de habitantes, sendo que a votação do plebiscito contou com 14,7 milhões de votos pela permanência. Ninguém achou realmente estranho que as assinaturas da petição tenham subido em velocidade recorde, atingido a marca de 3 milhões em tão poucos dias? Esses 3 milhões seriam praticamente 21% dos que votaram no dia do plebiscito.


Folha usa vídeo trivial para denegrir Janaína Paschoal

No último sábado a Folha de São Paulo, empresa que faz publicidade para movimentos de esquerda e para o PT, publicou uma manchete ultra sensacionalista que dizia: "Supla é tietado por autora de pedido de impeachment e não a reconhece." O próprio corpo da matéria não condiz com o vídeo que levou o publicitário da Folha a escrevê-la, e também não corrobora seu título. Segue um trecho:
"Janaína Paschoal, autora do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, é fã do roqueiro Supla, filho da senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) e do ex-senador Eduardo Suplicy (PT-SP). 

A advogada foi flagrada tietando Supla no lançamento do livro "Supla - Crônicas e Fotos do Charada Brasileiro", nesta semana, em Brasília. A obra marca os 30 anos de carreira do canto." [Destaques meus]
Note que a matéria diz que a doutora Janaína Paschoal foi flagrada tietando Supla, só que o vídeo não mostra tietagem alguma. Tudo o que se pode ver é uma fã falando com seu ídolo, uma conversa totalmente trivial.

A propaganda anti-Janaína continua:
"O momento em que Janaína pede autógrafo a Supla foi registrado por uma câmera de celular, e o vídeo agora circula pelas redes sociais.


Procurado pelo "F5", Supla diz que reconheceu Janaína como uma figura pública, mas não sabia que era ela autora do pedido de impeachment."
Aqui, mais uma mentira. O tal vídeo não "circulou pelas redes sociais" tal como sugere o publicitário. Na realidade ele teve, até o presente momento, míseras 25 mil visualizações no Youtube que são em sua maioria posteriores a publicação da Folha. Além disso, não há absolutamente problema nenhum em Supla não tê-la reconhecido como a autora do pedido de Impeachment. O playboy mesmo disse que não acompanha política porque não tem paciência para isso. 

O vídeo é em si banal. Mostra uma pessoa conversando com outra. O rockeiro não trata Janaína com escárnio ou com desdém como sugere o título da propaganda da Folha. Fato é que a verdade simplesmente não condiz com o que foi escrito pelo publicitário Felipe Giacomelli.

Enfim, veja com seus próprios olhos:


Uma curiosidade foi um dos comentários postados na propaganda da Folha. O indivíduo comentou o seguinte:

"Pequena decepção. Adoro JANAINA PASCHOAL pela mulher que é pela sua inteligência pela sua competência mas como uma mulher tão especial com ela é... fã de Supla.??? Que nem a reconhece quando a tem por perto eu reconheceria JANAINA ate na multidão eu ia querer um autografo dela ela faz a historia hoje no pais. Um cara ridículo que não percebe que já não e mais um rapazola pra se vestir e se apresentar como um palhaço como se apresenta e seu linguajar cheio de gírias insuportável."
O autor do comentário assina como "Mestre D'armas". Aparentemente a única decepção é mesmo o fato de Janaína ser fã do Supla, talvez o primeiro defeito seu que se tornou público. E, é claro, como vocês devem ter notado este vídeo está editado. A versão completa está aqui Tem até fãs do Supla pedindo para tirar foto com Janaína. 


Estudantes libertários, uni-vos!

Um espectro ronda as universidades brasileiras, o espectro do movimento libertário. Todas as potências da velha guarda socialista se unem em uma profana aliança para conjurá-lo: a UNE e a UBES, o Juntos e a ANEL, o PSOL e o PCdoB, os radicais ortodoxos e os pós-modernos, até mesmo os patrulheiros ideológicos e neo-fascistas de camisa vermelha e tênis da Nike.

Que movimento de oposição não foi chamado de fascista por seus adversários no poder? Que movimento de oposição, por sua vez, não lançou a seus adversários a pecha infamante de fascistas?

Duas conclusões decorrem disso:

  1. O movimento libertário já é reconhecido como força por todas as potências universitárias neo-fascistas;
  2. É tempo de os libertários exporem, à face de todo o país, seu modo de ver, seus fins e suas tendências, opondo um manifesto do próprio movimento à lenda do espectro do libertarianismo.

Com este fim, devem reunir-se, nas principais universidades do país, libertários de todas as idades e das mais diversas localidades, a fim de redigirem o tal manifesto, que deverá ser publicado e viralizado de todas as maneiras possíveis. Já é hora de os estudantes libertários mostrarem seu rosto, sua identidade e sua força na luta contra as velhas oligarquias do movimento estudantil comunista. A sanha neo-fascista da esquerda totalitária precisa ser combatida com vigor, empenho e dedicação ímpar, antes que venha a se tornar um mal irreversível.

Os libertários não devem se rebaixar na dissimulação de suas opiniões e seus fins. Ao contrário, devem proclamar abertamente que seus objetivos só podem ser alcançados com a derrubada de toda a desordem social perpetrada pela esquerda totalitária vigente. O movimento estudantil de extrema-esquerda deve tremer diante do ideal contrarrevolucionário. Em contrapartida, os libertários nada têm a perder senão suas correntes, embora tenham muito a ganhar.

Estudantes libertários do Brasil, uni-vos!


Transparência Internacional vê Operação Lava-Jato como exemplo a ser seguido.


A Operação Lava-Jato é, de fato, um marco na história do Brasil. Nunca antes uma investigação cavou tão fundo e envolveu tanta gente, dos mais diversos partidos e até mesmo figuras não ligadas a partido algum. Até agora, a Operação tem sido bem sucedida em desvendar o maior esquema de corrupção do Brasil e, possivelmente, o maior da história do mundo.

A organização Transparência Internacional, voltada a expor os escândalos de corrupção no mundo todo, reconhece os méritos da Lava-Jato e elogia a atuação de Sérgio Moro como juiz de primeira instância. O presidente da entidade, José Carlos Ugaz, disse hoje em Curitiba após reunião com Sérgio Moro que a organização pretende instalar um centro de análise anticorrupção no Brasil. Por trás da decisão, está a Operação Lava Jato que desvendou um esquema de corrupção e desvio de dinheiro na Petrobras e também em outros órgãos públicos. Há ainda a intenção de dividir com outros países as informações, como uma forma de internacionalizar a operação.



“A experiência da Lava Jato pode ser aproveitada em outros países do mundo”, pontuou José Carlos Ugaz em entrevista ao portal G1.

Quero só ver como Lula e Romero Jucá vão "estancar a sangria."

Sérgio Moro foi ovacionado durante show do Capital Inicial



No último sábado, dia 25, a banda Capital Inicial tocou em Curitiba e, no meio do show pessoas perceberam e reconheceram a presença do juiz Sérgio Moro, principal responsável pelas investigações e condenações da Operação Lava-Jato. O resultado foi este:
video

Este vídeo, para o bem e para o mal, é muito útil. Ele mostra que as pessoas estão desacostumadas a verem alguém fazer direito o seu trabalho, por isso Sérgio Moro surpreende ao bater de frente com uma máfia perigosa que ninguém mais aguenta. O lado bom disso é ver, também, que as pessoas ainda valorizam a honestidade e tratam outras pessoas honestas e íntegras com respeito e admiração. Eu sou cético e até meio pessimista, sempre espero o pior, mas é importante que as pessoas tenham alguma esperança e creio que a figura de Sérgio Moro possa ser um símbolo disso tudo.

Para ser franco, esta é uma das poucas vezes em que aparentemente as coisas não vão acabar em pizza.