14 de outubro de 2016

Rotule, rotule e rotule!

Primeiro, tenha em mente que na política não existe isso de "debate de ideias", "argumentação honesta" e coisas do tipo. Se você acredita nisso de verdade, inevitavelmente será esmagado, se é que já não foi. Só existem na política algumas regras básicas e todas elas dizem respeito a vitória ou sobrevivência.

Para sobreviver e para vencer, é necessário rotular seu oponente. O bom rótulo é, em política, o equivalente a um bom golpe desferido contra um adversário em batalha. Quando a extrema-esquerda lida conosco, dificilmente ela lida de forma franca e limpa. Podemos ver isso em situações muito recentes, como a PEC 241. Os ataques contra a PEC são feitos na base da rotulagem e não da argumentação, pois simplesmente não há bons argumentos contra a proposta.

Reparem que a PEC tem sido repetidas vezes chamada de "PEC da Maldade", que não é nada senão um rótulo. Temer, por sua vez, foi chamado de golpista diversas vezes e aí, como o rótulo não deu muito certo, os grupelhos passaram a atacá-lo com rótulos diferentes, como "o cruel".


Repare, na imagem acima, que além de chamá-lo de cruel a postagem o compara a Adolf Hitler. É absurdo? Sim. É exagero? Sim. Funciona? Sim! Pode até ser que por conta do momento histórico que passamos esses grupos não tenham mais força para influenciar a população como um todo, mas certamente isso garante a eles sobrevivência política. Se, em vez de atacar Temer dia e noite eles tivessem abandonado a luta, já teriam se acabado.

Por isso, repito: sobrevivência e vitória. A política é uma forma de guerra, ela ocorre em um campo de batalha diferente, sem mortes ou ferimentos físicos diretamente, mas ainda assim é uma guerra. E essa guerra, para ser lutada, precisa de certos tipos de táticas que funcionem contra os inimigos.

Não existe diálogo possível com quem, consciente de ser mentira, repete uma narrativa à exaustão. Esse papo de que a PEC 241 irá acabar com recursos para saúde e educação é falso, e posso garantir a você que eles sabem que é falso. Ou você acha que esses malandros do Brasil 247 são meros adolescentes militantes? Claro que não. Trata-se, isto sim, de espertalhões fazendo aquilo que pode lhes render frutos. As ideias que defendem são as ideias que lhes garantem um bom lucro.

Sendo assim, reitero meu pedido aos colegas liberais, libertários ou conservadores: Rotulem! Rotulem sempre que possível.