12 de outubro de 2016

"Economista" citada pelo artigo do Valor contra a PEC 241 apoiou Dilma no Senado


A mulher da foto acima se chama Vanessa Petrelli, ou melhor dizendo, Vanessa Petralha. Isso mesmo. Esta mulher é professora da Universidade Federal de Uberlândia, mas é também formada em economia - não que seja, por isso, economista de verdade. Em junho, conforme matéria publicada no Correio de Uberlândia, ela foi convidada para defender Dilma Rousseff no Senado.

É exatamente isso. Ela foi uma das testemunhas de defesa de Dilma durante o processo de impeachment, mas agora que a petista caiu, restou a ela tentar manter o circo de pé. Vanessa foi citada, novamente, na matéria publicada pelo jornal Valor Econômico contra a PEC 241, a PEC anti-pedaladas. Segue o trecho abaixo:
"A pesquisadora Vanessa Petrelli Corrêa, da Sociedade Brasileira de Economia Política, enfatizou que a PEC não leva em consideração outros fatores que foram determinantes para o crescimento da dívida pública. “A pesquisa mostra que o crescimento brutal da dívida do setor público não está vinculado meramente à piora do resultado primário. Tem a ver com a política monetária e cambial, com a forma como o Brasil faz o ajuste fiscal e com a dinâmica financeira que não é analisada por essa PEC”, disse Vanessa."
Agora, leia o que foi escrito no Correio de Uberlândia em 6 de junho deste ano:
"A professora titular e diretora do Instituto de Economia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Vanessa Petrelli Corrêa, está entre as 32 testemunhas escaladas pela defesa da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) para depor na Comissão do impeachment do Senado. Com nomes de técnicos, juristas e políticos, a lista contendo os depoentes escolhidos no intuito de esclarecer a denúncia das pedaladas fiscais foi protocolada, nesta segunda-feira (6), na Secretária-geral da Mesa da Casa."
 Isso nos dá, então, duas possibilidades:

1) Vanessa, a "economista", por mera coincidência calhou de ser convidada a defender Dilma e agora, novamente, defendendo uma narrativa que por acaso vai de acordo com o que defendem os petistas.

2) Ela foi escolhida a dedo justamente por estar de acordo com a ideologia petista, de modo que ajudou a elaborar o documento contrário a PEC 241 já de caso pensado.

Particularmente, não sou de acreditar em coincidências.