5 de setembro de 2016

Olavettes continuam fazendo o serviço sujo para o guru

O ridículo portal de "notícias" Rádio Vox, que é basicamente a central nacional de olavettes, tem seguido rigorosamente a agenda do guru da Virgínia no que tange a atacar outros grupos de direita. Além de terem praticado um ato - fracassado, diga-se - de sabotagem contra o MBL, além de terem feito de tudo para desmerecer o trabalho de liberais como os membros do Instituto Mises Brasil, e como se não bastassem os frequentes ataques inescrupulosos, infundados e completamente desnecessários contra outros conservadores que não se ajoelham diante do velho fumante, agora os alvos são os sites Implicante e Reaçonaria.

Confesso, a propósito, que não conheço muito a respeito do Reaçonaria. Raras vezes o acessei. O Implicante, entretanto, é um blog razoavelmente bom, atendendo bem a proposta. Um amigo meu, que diferentemente de Olavo não é nenhum teórico da conspiração, apontou um fato curioso: Todos os grupos de direita que não se ajoelham perante Olavo de Carvalho acabam se tornando alvos dele, cedo ou tarde.


O velho, como todos já estão carecas de saber, é um farsante. No entanto isso nem é do meu interesse, já que os golpes dele são aplicados apenas em gente muito estúpida que realmente precisa evoluir intelectualmente - e que obviamente continua precisando disso depois de ter aulas com ele. O ponto central aqui, na realidade, é mostrar a cara de pau das milícias olavettes, como é o caso de meia dúzia de gatos pingados como Alexandre Seltz e o pessoal da Rádio Vox.

O primeiro ponto é: A agenda olevette inclui a tática de 'nós contra o mundo', cuja finalidade é apresentar todos aqueles que não são seus expressos apoiadores como inimigos ou como inimigos em potencial. Esta é a estratégia de Olavo que pode ser vista em aplicação aqui:


Citando uma matéria - desmentida - da Folha de São Paulo, um jornal totalmente alinhado à New Left brasileira, a Rádio Vox ataca outros veículos de direita, no caso o Reaçonaria e o Implicante. Em termos de conteúdo, só para início de conversa, o Implicante deixa a Rádio Vox no chinelo. E isso é nítido para quem tiver olhos. O Implicante faz bons vídeos, tem textos com boa qualidade, boa escrita, e o mais importante: não reproduz hoax, não espalha mentiras e boatos.

Estes pontos positivos não são devidamente avaliados por gente como Alexandre Seltz e seus amiguinhos, já que para eles o que importa é ficar ali lambendo os testículos do "professor" Olavo. Naturalmente, como a vida deles parece depender de algum tipo de aprovação - ou eles ganham dinheiro para isso, é uma hipótese, tudo o que fazem é tentar desacreditar veículos "concorrentes", o que não chega a ser um crime, mas ainda assim é uma imoralidade muito grande para quem diz ser defensor dos valores cristãos com tamanha veemência.

O mais ridículo de tudo é o trecho no qual escrevem "Ditadura Alckmin", aludindo ao governador de São Paulo. Estranhamente, parece que as conexões entre Olavo de Carvalho e o especulador George Soros, nestas horas, nunca vêm ao caso. Também nunca vêm ao caso lembrar da ligação entre Guilherme Afif Domingos e o "professor".

Sim, estou falando de George Soros, o mesmo especulador que financia movimentos de extrema-esquerda mundo afora, que financia Leonardo Sakamoto e Mídia Ninja, que financia o Instituto Fernando Henrique Cardoso. Ele, embora não financie diretamente Olavo, até onde se sabe, é um homem de enorme influência na Romênia. E, pasmem, Olavo é chegado a muitos intelectuais romenos que são, estes sim, financiados com dinheiro de Soros, como é o caso de Andrei Pleshu.

Outro figurão ligado a Olavo e Soros, ao mesmo tempo, é o tal Gabriel Liiceanu. A editora que Liiceanu mantém na Romênia e que pretende publicar obras de Olavo de Carvalho é mantida com dinheiro que vem de George Soros. A prova dessa ligação? Veja por si mesmo:


Na foto, Elpídio da Fonseca e Liiceanu, compartilhada no perfil pessoal de Olavo no Facebook. Elpídio é um tradutor, e ele escreveu um artigo para um site romeno (este aqui) no qual exagera de maneira grotesca a relevância de Olavo de Carvalho no processo para o impeachment de Dilma Rousseff, algo que já apurei como falso em outros artigos deste mesmo blog.

Há, ainda, várias outras conexões. Um exemplo claro disso foi a entrevista que Olavo deu, anos atrás, para o site Ad Hominem, no qual escrevia o professor Francisco Razzo. Este site não está mais no ar, mas o Mídia Sem Máscara, que é ligado ao próprio Olavo, fez o favor de republicar esta entrevista por lá. Sugiro que se atenha a um trecho específico, quando Olavo é questionado sobre filósofos importantes da atualidade.

Neste momento, ele cita nominalmente: Jean-Luc Marion, John Deely, Harry Redner, Glenn Hughes e Horia Patapievici. Destes cinco nomes, três são ligados a Soros, especialmente o último.

Além disso tudo, há uma questão que aproxima Olavo dos interesses de importantes figuras da esquerda mundial, como Hillary Clinton - que por sinal também é financiada por Soros. Trata-se, neste caso, de Vladimir Putin. Quando Olavo começou a choramingar porque o movimento pró-impeachment no Brasil 'cagou' para ele, uma de suas queixas era a de que, segundo ele, o caminho era ter feito algo próximo do que fizeram na Ucrânia recentemente. Ou seja, partir para a violência contra o governo, pegar em armas e derrubá-lo. Esta, a propósito, é uma ideia bastante revolucionária para quem se diz conservador.

Contudo, não é disso que se trata. Olavo, assim como Hillary Clinton - e George Soros - possuem o interesse comum de derrubar o russo de seu trono. Daí a razão para que o guru pegasse o exemplo da Ucrânia, pois na visão dele o que fizeram lá foi, de algum modo, uma coisa positiva, já que entrava perfeitamente em sua agenda política. Não é à toa que tanto Hillary Clinton quanto ele têm alardeado por aí uma suposta conexão entre Trump e Putin, mostrando que mais uma vez a agenda da extrema direita - ou direita true - converge perfeitamente com a esquerda globalista.

O que isso tudo tem a ver com a Rádio Vox? O próprio Olavo vai responder: