27 de setembro de 2016

O evidente enfraquecimento da extrema-esquerda

O trabalho que blogs como o meu e alguns outros temos feito nos últimos meses visa, justamente, demolir narrativas de esquerda. Este é nosso foco principal. O meu, especificamente, é também instruir direitistas, especialmente os liberais, a terem posturas mais firmes e eficientes no trato com os nossos adversários.

Diante disso, expresso grande alegria ao perceber que a extrema-esquerda entrou em uma espiral descendente, um conjunto de movimentos atrapalhados que são, no máximo, fruto de desespero. Isso tudo também é reflexo do fato de que estes partidos passaram as últimas duas décadas enfrentando pouca ou nenhuma oposição, e agora para onde quer que olhem enxergam adversários.


Caiu em meu colo na manhã de hoje um artigo escrito por um blogueiro petista chamado Bepe Damasco, no site Brasil 247. O texto inteiro é um ataque focado contra o PSOL, e tudo isso em virtude do desespero de Jandira Feghali. A comunista, no último debate entre os candidatos a prefeitura do Rio, fez um ataque a Jean Wyllys, do PSOL, chamando-o de misógino porque ele teria pedido voto em Marcelo Freixo, que é do seu partido, mas é também concorrente de Jandira.

Wyllys, em sua postagem, de fato critica sua colega Jandira por ela ter dado apoio a Eduardo Paes, atual prefeito do Rio de Janeiro, que é do PMDB. Na última eleição, em 2012, a comunista chegou até a gravar um vídeo pedindo apoio ao peemedebista. O deputado psolista viu, portanto, a oportunidade de malhar a colega a fim de dividir as opiniões da extrema-esquerda carioca e fazer passar a imagem de que Marcelo Freixo não tem "nada a ver" com nada disso.

No fim das contas, o que ficou realmente evidente é o fato de que eles estão desesperados. O PSOL, que foi linha auxiliar do PT desde sua existência, vem tentando fingir que não tem nada com isso. O que não se pode esquecer é que o mesmo Jean Wyllys que ataca Jandira também apoiou Dilma em sua campanha de 2014, gravando um vídeo para a propaganda dela. Dilma, por sua vez, tinha como vice um candidato do PMDB, hoje muito conhecido por Michel Temer.

Na prática, Wyllys não é melhor do que Feghali, nem o blogueiro petista do Brasil 247 é melhor ou pior que ambos. Eles são todos iguaizinhos, mas estão tentando forçar um racha para ver quem vai arregimentar mais seguidores extremistas. Eles precisam disputar o "pote de ouro", precisam preencher o vácuo que será deixado pelo fim do PT e pela inevitável queda de Lula. O PCdoB, entretanto, não pode simplesmente largar os petistas, pois a relação deles é muito mais antiga e mais íntima. Caberá ao PSOL se aproveitar dessa fissura e tentar escapar pelo cantinho, sem que ninguém perceba.

O que o blogueiro petista chama de "erro" do PSOL é, na realidade, a sua estratégia. O PSOL quer ser o PT do futuro, é um partido com a clara intenção de construir sua estrada até o poder total e irrestrito. É, acima de tudo, um partido mais perigoso que o próprio PT, pois nele há indivíduos que nem mesmo têm receio de demonstrar apoio a ditadores assassinos e facínoras.