7 de setembro de 2016

Melo-Pont: A destruição definitiva de Porto Alegre

Como já comentei em postagem anterior, Porto Alegre tem quatro candidatos no topo das pesquisas, sendo que três deles são a exata continuidade de tudo o que há de ruim. A saber, Luciana Genro (PSOL), Raul Pont (PT) e Sebastião Melo (PMDB). Sobre Genro não preciso dizer muito: é uma socialista que apoia ditaduras abertamente, que apoiou Dilma Rousseff e o PT diversas vezes e que é filha do ex-governador gaúcho Tarso Genro, do PT.

No entanto, preciso dizer mais coisas sobre a dupla Melo-Pont, uma vez que se Luciana Genro é a encarnação do neo-socialismo, uma ideologia nefasta por si só, Raul Pont e Sebastião Melo não chegam a tanto, mas ainda assim são igualmente ruins. Vejamos, por exemplo, que Melo é o atual vice-prefeito, e sua vice é neta de Brizola, do PDT, mesmo partido do atual prefeito.


Ambos deram entrevistas ao UOL a respeito da corrida eleitoral. Raul Ponto, que teve a entrevista publicada na segunda-feira, defendeu Dilma Rousseff o tempo inteiro, um sinal de que mesmo após os crimes já comprovados do partido ele continua firme e forte ao lado da bandidagem.

Pont é tão cínico que chegou a negar, com clareza, que João Santana fosse marqueteiro do PT, e disse ainda que a imprensa foi "tendenciosa" ao insinuar isso. A questão é que Santana está sendo investigado por crimes que envolvem o PT, quando ele trabalhou em campanhas de Lula, Dilma, Gleisi Hoffmann, etc. Negar isso por si só é um insulto a inteligência das pessoas. Em outro trecho, Pont critica a administração atual, que é do PDT, o mesmo partido ao qual Dilma já pertenceu e do qual o PT é aliado em praticamente todo o país.

Sebastião Melo, que é vice-prefeito, faz parte de uma chapa que governa a cidade há mais de uma década. Sim, ele realmente acha que tem o direito de continuar no poder. Ao ser questionado pelo UOL a respeito da situação de Porto Alegre, ele disse que quer "reconhecer erros". Quando questionado sobre as razões para o eleitorado escolher continuar o mesmo projeto, ele disse cinicamente que "a cidade sempre teve problemas, mas vem encontrando as soluções ao longo do tempo."

É mentira. A narrativa sugere que Porto Alegre estaria 'melhorando', quando na realidade a cidade piorou muito. Qualquer pessoa que viva ou visite a capital gaúcha sabe disso perfeitamente. "Eu acredito no projeto que está aí, que produziu muitas mudanças e avanços", disse o vice-prefeito. 

Ok. Então vamos ver se os números concordam com essa "versão dos fatos".






Estas aí são algumas manchetes, coisa que achei digitando "Porto Alegre" no Google. Os números você pode conferir aqui.

Então, não. Parece que os fatos não condizem com a narrativa do atual vice-prefeito. A cidade não está nada bem, não está melhorando nenhum pouco. Pelo contrário, só tem apresentado pioras. E isso tudo é parte do projeto que vai além da atual gestão da prefeitura, que está nas mãos do PDT e do PMDB. O atual governador do estado, Ivo Sartori, é do mesmo partido de Melo. O anterior, Tarso Genro, é do partido de Raul Pont. Ambos são responsáveis diretos ou indiretos pelo quadro atual da capital gaúcha. Não há como negar isso, pois são fatos.

Ademais, estes mesmos grupos controlam a cidade há muito mais do que 12 anos. Se somarmos os tempos em que o próprio Pont e Tarso Genro foram prefeitos, e se somarmos ainda os tempos em que Alceu Colares governo Porto Alegre e, depois, o próprio estado do Rio Grande do Sul, tendo Dilma Rousseff em suas secretarias, vamos ver que é um projeto de muito longo prazo. Vale lembrar que na ocasião Dilma ainda era do PDT, partido da vice de Melo na campanha e do atual prefeito Fortunati.

Os porto-alegrenses, espero eu, não podem mesmo cair nessa de novo. Seria muita estupidez. É preciso que enfiem a mão na consciência e entendam o quadro real das coisas, assim podem melhorar sua situação. É isso ou em poucos anos a cidade será um novo Rio de Janeiro.