2 de agosto de 2016

Não devemos fazer concessões aos fanáticos

Na guerra política, ocupar terrenos é muito importante. É, na verdade, imprescindível. Só que não estamos falando de espaços físicos meramente, e sim de espaços virtuais e, acima de tudo, falamos de "território ideológico". E explico.

Um "terreno", no sentido ideológico, tem a ver com coisas como controle da narrativa e controle das pautas. Quando um determinado grupo controle os assuntos a serem discutidos e a forma como serão discutidos, ele está ocupando terreno. E quando nós, que somos de oposição a eles, fazemos concessões, eles ocupam ainda mais espaço. Exemplos disso existem aos montes, citarei apenas alguns deles.


Exemplo 1: Ceder ao politicamente correto

Muitos liberais, libertários e até conservadores, na ânsia de conseguirem a "aprovação" do inimigo, cedem aos policiais de opinião, aos Justiceiros Sociais, e agem com todo o cuidado para nunca "magoar" ninguém. A razão por trás disso, entretanto, é estúpida. Quem age assim, apesar de acreditar que poderá servir como exemplo e converter os adversários, normalmente serve como saco de pancadas. Ademais, nós nem mesmo precisamos ter esse desejo impetuoso de converter todo mundo, algumas pessoas não podem e nem devem ser convertidas.

Já cansei de ver por aí liberais que, ao se defrontarem com figuras execráveis como Justiceiros Sociais, praticamente se ajoelhavam diante deles para não serem atacados. São liberais que morrem de medo de sofrer críticas ou mesmo ataques do inimigo, que se preocupam em agradá-lo. Isso é burrice. Os fanáticos jamais vão nos respeitar como indivíduos, eles não querem isso. Não se trata de uma questão de capacidade cognitiva, não se trata de "ensiná-los" a pensar diferente. Eles não querem pensar diferente, este é o ponto.


Exemplo 2: Pedir "desculpas" por pensar diferente

Olho as conversas que as pessoas têm na internet e fico abismado com a quantidade de pessoas de direita que quase se desculpam por serem de direita. Não raramente, vejo comentários como "sou de direita, mas não tenho nada contra gays." Ora! E para ser de direita é preciso ter algo contra gays, para que alguém se sinta a exceção?

Quando ocorreu o ataque em Nice, em que 84 pessoas morreram nas mãos de um terrorista muçulmano, vi gente de direita pedindo desculpas pela "islamofobia". Que coisa patética! Ficar se justificando por um suposto preconceito* contra muçulmanos diante de um ataque com 84 vítimas fatais e outras dezenas de feridos é simplesmente ridículo. Não somos nós que devemos dar justificativas para isso, são eles.

É a esquerda que dá seu apoio a extremistas palestinos, é a esquerda que aprova ditaduras sangrentas, é ela que defende e sempre defendeu grupos terroristas - desde que estes grupos ataquem seus inimigos. São eles que precisam se justificar diante destes fatos, não eu ou você por não concordarmos com a agenda deles.


Exemplo 3: Acreditar que o adversário é honesto

Essa mania que a direita tem de achar que pode ler mentes é desvantajosa. De vez em quando vejo opositores da esquerda agindo como se os inimigos fossem apenas pessoas honestas, porém mal informadas. Isso, além de subestimar o oponente, também é estúpido porque não tem base nenhuma.

Historicamente, os fanáticos sempre se mostraram como fanáticos, como extremistas e como pessoas realmente mal intencionadas e desonestas, não como seres indefesos que apenas se equivocaram. Quem idolatra Che Guevara, alguém que tinha orgulho de ostentar que matava opositores políticos, não é nem de longe pessoa honesta ou bem intencionada. Quem apoia a ditadura venezuelana, mesmo com um ditador que claramente discrimina gays, que usa as forças armadas contra a população e que causou um crise devastadora, também não é gente boa.

Conclusão

A verdade é que as táticas usadas pela esquerda são boas, e uma tática não é por si só moral ou imoral. O que torna a esquerda imoral são suas ideias, é aquilo que ela defende, são os seus objetivos totalitários. Quem defende ditaduras, massacres e terrorismo é imoral por si só, ninguém que seja realmente bem intencionado acha que é justificável explodir prédios com pessoas dentro. A quem é bem intencionado não fica patrulhando o pensamento alheio só para encontrar alguma coisinha que possa servir politicamente.

Não devemos fazer concessões a esses extremistas. Pelo contrário. Devemos ser totalmente intransigentes com eles, gerar conflitos, fazer com que saibam que estão errados e que nós sabemos disso.