5 de agosto de 2016

Dilma destruiu a economia e agora não quer ser questionada por isso

A defesa de Dilma Rousseff, personificada pelo estúpido e grotesco José Eduardo Cardozo, quer que a presidente afastada vá depor em seu próprio processo de impeachment, mas não quer que ela seja inquirida pelos senadores de oposição.

A tática é simplesmente ridícula, beira ao cúmulo da arrogância. Claro que ainda assim a ideia é no máximo uma chantagem, visto que Cardozo afirmou ter aconselhado Dilma a depor somente se for para ela "falar e ir embora". Ir embora para onde? Quando Dilma sofrer o impeachment, ela não terá mais foro privilegiado, terá que responder muitos inquéritos ainda.

Não é que eu acredite no poder judiciário, mas a atual situação política irá exigir que algum sangue (no sentido político) seja derramado. A petista que destruiu a economia por pura displicência, por ter escolhido governar para o partido, gerou feridas que ficarão abertas por muito tempo. Bem se diz que a longo prazo um político pode ser mais nocivo que uma bomba atômica, e Dilma provou que isso é verdade.

Ela não quer ser inquirida porque sabe que não pode dar as respostas. É só uma forma de manter sua pose de "vítima" de um golpe, quando na realidade ela é uma criminosa que destruiu as vidas de muita gente.