12 de julho de 2016

Por que os socialistas temem os liberais?

Este artigo é uma resposta a Socialista Morena em seu artigo "Por que os capitalistas têm tanto medo do comunismo?"

Muito impressiona o temor que os socialistas e comunistas sentem da simples ideia de liberdade. Basta mencionar palavras como "liberalismo", "medidas de austeridade" ou "desestatização" e os comunas logo tremem de medo, entram em parafuso e perdem totalmente a estribeira. Interessante é que a recíproca não é verdadeira. Os liberais nunca tiveram medo dos comunistas, a maioria até os despreza, entendendo-os como crianças mimadas ou adultos parasitas e folgados.

Os vermelhos sentem tanto medo dos liberais que não querem aceitar, de maneira alguma, a ocupação de espaços nas universidades ou nas bancadas parlamentares. Se liberais entram em uma universidade e mencionam Mises ou Hayek, dois gigantes da economia que os professores marxistas fingem nem existirem, logo os militantes entram em polvorosa, começam a gritar histericamente. A superintendente do Santander, que alertou o país sobre a situação das contas públicas, foi até demitida apenas por ter falado em austeridade.

Afinal, o que pode acontecer de mais quando liberais mostram aos alunos de marxismo aplicado à neurologia, ou de marxismo aplicado à ioga, como pensavam os grandes intelectuais liberais da humanidade? Na mente dos comunas, o efeito é óbvio, todos virarão liberais e escreverão "Don't tread on me" nas paredes da faculdade. Antes fosse verdade. A extrema-esquerda trata dos jovens como se fossem apenas subprodutos do interesse marxista, aplicam técnicas gramscianas para usá-los feito massa de manobra e imitam os fascistas no que tange à mentalidade de pensamento único, sem direito ao contraditório. No entanto, a manipulação empregada por grandes veículos de comunicação aparelhados pelo partido que apoiam não os incomoda nenhum pouco.

É claro que esse medo todo deriva de algum lugar. Abaixo, algumas hipóteses sobre a origem de tudo isso:


1ª hipótese - Eles temem os liberais porque temem perder suas regalias adquiridas a partir de um Estado agigantado:

Como diz um velho poema cuja autoria desconheço:

"O socialismo tem um lema
neste verso que eu endosso.
O que é meu é sempre meu,
o que é teu é sempre nosso."

Toda a cultura perpetuada pelos comunistas é baseada em espoliação. Eles defendem algo que historicamente nunca praticaram, que é justamente a não exploração dos mais pobres para atender aos seus interesses particulares e mesquinhos. Por onde quer que comunistas tenham passado - e isso vale para a URSS ou para a atual Venezuela - o que ficou ara trás foi fome, miséria, uma economia devastada e a degradação social mais profunda, mas somente para o povo, nunca para os governantes socialistas. Estes, por sua vez, sempre mantiveram boa vida para si e para seus cupinchas, com direito a todas as regalias mantidas pelo capitalismo de primeiro mundo, ao passo que a população mais carente chafurdou na lama da desgraça.

Se alunos inteligentes de escolas e universidades começarem a conhecer as ideias liberais, lendo Bastiat a respeito da espoliação por meio das leis, eles podem começar mesmo a questionar as tais boas intenções dos revolucionários oportunistas.


2ª hipótese - Eles temem os liberais porque estes têm o 'terrível' hábito de deixar as pessoas livres, enquanto os comunas querem praticar engenharia social:

A engenharia social não é exclusividade dos vermelhos, mas é com eles que toma a pior forma e a maior dimensão. A ideia por trás de tudo é um projeto de poder e controle na sociedade, uma forma de moldar interesses, ideias e comportamentos por meio de técnicas de manipulação de massa.

Toda a retórica socialista é pautada em narrativas, que nada mais são que invenções distorcidas de uma realidade, e vendem essas narrativas como soluções para problemas que em geral eles próprios criaram. A evidência de que se trata de fraude intencional é a resposta dada quando são questionados a respeito de experiências passadas do socialismo, como União Soviética, Cuba, China ou mesmo a atual Venezuela. O padrão das respostas é negar que estas tenham sido experiências socialistas de fato, alegando que "houve distorção" da teoria marxista. No entanto, partidos e movimentos de esquerda que se declaram socialistas até hoje ainda apoiam estes regimes. Se foram regimes que eles próprios reconhecem como experimentos ruins, por que apoiam? É porque eles simplesmente não acham que tenham sido mesmo maus experimentos, dizem isso somente para se esquivar de perguntas que não querem responder.

Liberais, por outro lado, lutam justamente para desfazer tudo isso e neutralizar o poder dessa engenharia social, combatendo as narrativas inventadas pela esquerda de modo que se pessoas minimamente sensatas e conscientes tiverem contato com qualquer tese racional e positiva diferente da que eles propõem, a tentativa de controlar as pessoas pode cair por terra. Eles temem os liberais porque estes querem desconstruir seus padrões.

Esta deve ser a maior razão para que comunistas tenham tanto medo dos liberais, a ponto de fazerem patrulhamento ideológico por onde quer que passem, ameaçar estudantes universitários que pensam de modo diferente, tentar impedi-los de simplesmente falar em nome do que acreditam. Em verdade, muitos deles até nos matariam se tivessem imunidade.


3ª - hipótese - Eles temem os liberais porque gostam de ser irresponsáveis e preguiçosos, cientes de que o trabalho e o respeito à propriedade alheia são empecilhos para isso:

A forma como os vermelhos lidam com o dinheiro dos outros (impostos) é evidência de total falta de responsabilidade, além de um interesse quase mórbido de viver às custas alheias. Liberais defendem que o trabalho ou as trocas voluntárias são as únicas maneiras legítimas de obtenção de bens de consumo e serviços.

No entanto, comunas não são apenas irresponsáveis e preguiçosos em lidar com aquilo que não lhes pertence, são acima de tudo verdadeiros sanguessugas que se orgulham disso a ponto de ostentar, sem medo de represálias, aquilo que literalmente ganharam às custas alheias. Parte dessa postura deriva de uma extrema preguiça de trabalhar, algo que é comum sobretudo nos socialistas mais jovens, daí a tese marxista de que todo trabalho é uma exploração acaba caindo como uma luva para justificar aquilo que, bem no fundo, pode ser explicado apenas como vadiagem pura e simples.

Os liberais apoiam o inverso, querem que as pessoas tenham dignidade e que não precisem espoliar as outras para poderem viver bem, por isso entendem o trabalho como uma maneira digna de se conseguir as coisas. Se não o trabalho, pelo menos outras formas de trocas voluntárias, como doações, que também são muito mais dignas do que qualquer tipo de parasitagem por meios legais ou não. Socialistas não são qualquer coisa além de gigolôs, aproveitadores, com a diferença de que fazem isso sem o consentimento de suas vítimas.

Liberdade, por outro lado, requer responsabilidade, e é fácil para comunistas capitalizarem em cima disso, levando jovens que por questões biológicas tendem a ser irresponsáveis para o seu lado. Infelizmente, com exceção daqueles que se sobressaem por serem mais eficientes na arte inglória de manipular, eles geralmente terminam na sarjeta. Esta mentalidade destrói a juventude.


4ª hipótese (sugerida por Paulo Pessoa) - Eles temem os liberais porque somente o liberalismo é capaz (como já provou ser) de prover à sociedade tudo aquilo que o socialismo promete há séculos e que, por uma incapacidade lógica, não é capaz cumprir:

Todo lugar em que as medidas liberais foram aplicadas, ainda que só parcialmente, prosperou e é hoje um exemplo. Foi assim com Suíça, Hong Kong, Estados Unidos da América ou Singapura. Ainda que muitos destes países tenham aplicado somente em parte ou só no passado estas medidas, o que se vê é que o mínimo do liberalismo é mil vezes mais eficiente em prover aquilo de que a sociedade precisa.

O socialismo, no entanto, passa longe disso. Em geral os vermelhos defendem medidas que já foram comprovadamente ineficazes em gerar sociedade próspera e estável, e quando estes tomaram o poder em algum lugar com estas características não demorou até que tudo fosse destruído em prol do partido e de suas bandeiras. Assim mesmo eles prometem "um mundo melhor" para todos, reforçando a desconfiança de que são em geral mentirosos conscientes do que fazem.

O medo dos liberais provém, talvez, da eficiência que estes apresentam em suas bandeiras.


Conclusão

Qualquer uma das três hipóteses apresentadas pode ser a verdadeira, até mesmo todas elas. Fato é que socialistas e comunistas temem e muito os liberais. Ontem, inclusive, recebi em meu chat a carinhosa mensagem de um petista (filiado ao partido, inclusive) me dizendo "morte aos liberais". Pois saibam, senhores comunas, que vocês podem matar todos os liberais do mundo e ainda assim estarão errados, quer aceitem ou não. E assim como vocês tiveram que matar milhões de dissidentes e rebeldes por onde quer que tenham passado, terão que matar muitos outros no futuro caso tenham a chance de colocar as garrinhas no poder mais algumas vezes.

Nenhum poder dura para sempre!