15 de julho de 2016

Não são votos em Russomano, são votos contra Haddad

Hoje foi divulgada uma pesquisa do Instituto Datafolha sobre intenções de voto para a prefeitura de São Paulo. Apesar de o instituto ser conhecido por manipular dados sempre a favor da esquerda, nem mesmo assim Haddad se deu bem. Os números mostram o candidato na quarta posição, perdendo para duas mulheres que já foram prefeitas da cidade, assim como ele, e para Celso Russomano (PRB). Nas pesquisas o petista tem apenas 8% das intenções de voto, enquanto Marta Suplicy (hoje no PMDB) tem o dobro, e Celso Russomano toma a liderança isolada com 25% dos votos.

O que talvez seja necessário compreender é que não são votos em Russomano ou em Marta que fazem toda essa diferença. Não conheço pessoas que simpatizem com Russomano, mesmo porque ele é conhecido por atitudes moralmente execráveis como o tratamento que deu a funcionários de um supermercado durante seu showzinho em "defesa do consumidor". Marta não deixa por menos. A ex-petista é odiada por muita gente desde a época em que fez pouco caso dos problemas com os aeroportos brasileiros, enquanto era ministra do Turismo entre 2007 e 2008.

Esses votos, essa enorme diferença entre o atual prefeito e seus concorrentes, é fácil de explicar. As pessoas simplesmente odeiam Fernando Haddad pelo estrago que ele causou em São Paulo, só quem ainda o defende é a elitezinha artística e os militantes de esquerda, ainda com ressalvas. Haddad fez uma gestão arrogante, boçal, sempre se portando como um moleque mimado desrespeitando quem o criticasse. Além disso, cometeu erros aos montes - se é que foram erros acidentais. 

As pessoas que odeiam Haddad são as mesmas que precisam pegar ônibus de madrugada para trabalhar e que voltam para casa quando já está anoitecendo de novo, é o povo. Quem odeia Haddad são as pessoas pobres, faveladas, que tiveram sua vida piorada ainda mais durante sua gestão. A classe média que não é ligada a movimentos de esquerda também odeia Haddad pela sua postura fascista perante as críticas e por seu comportamento infantiloide.

O petista é detestado porque é detestável. Essa pesquisa é uma resposta do povo a um gestor incompetente e execrável.


ARTIGOS RELACIONADOS