27 de julho de 2016

Jornalismo ou horário eleitoral do Partido Democrata?

A imprensa brasileira e também a internacional tem trabalhado dia e noite para promover a candidatura de Hillary Clinton nos EUA, e ao que tudo indica parece valer de tudo para isso, desde o abafamento de casos realmente relevantes que poderiam prejudicar a imagem da Democrata até a mais astuta campanha de difamação contra Donald Trump.

Um amigo brincou com isso, disse que acordou, ligou a TV e estranhou que estivessem exibindo o horário eleitoral Democrata aqui no Brasil, ainda mais em edição dublada. Logo em seguida ele diz que percebeu se tratar apenas de mais um dia normal na Globo News. De fato, se você acessa o portal UOL, a Globo News, a Folha de São Paulo ou outros grandes veículos da mídia nacional, a impressão é de que Hillary não tem defeitos e que os Democratas são verdadeiros heróis, enquanto Trump é um demônio a ser combatido.

Obviamente isso não é por acaso. Hoje mesmo vi um comentário bastante racional, feito por alguém no Facebook, que dizia justamente o quão óbvia é a estratégia, que consiste não somente em fazer Clinton ser eleita, mas também numa construção da imagem de Michele Obama. A imprensa quer fazer com Michele exatamente o que veio fazendo com Hillary na última década. No futuro, se o plano der certo, será a vez de Obama, a mulher, assumir o poder, imitando sua amiga do peito Hillary Clinton, que pode ser a próxima presidente dos EUA algum tempo após seu marido ter deixado o cargo.

O "jornalista" Guga Chacra, que diz ser um "especialista em oriente médio" apenas porque morou por um ano no Líbano, frequentemente ataca Donald Trump, independentemente das razões - até mesmo se não houver razões. Enquanto isso, fica rasgando seda para Obama. Em sua página no Facebook, fez até uma fanfic contando como seu pai supostamente chorou ao ver o discurso de Michele Obama na convenção Democrata.

O portal UOL, em uma clara manobra de desespero partidário, fez uma matéria com título exagerado, dizendo que o discurso de Michele foi "lacrador". Os maiores jornais do mundo, diante de vários casos que deveriam ser noticiados diariamente, vêm ignorando solenemente os fatos mais negativos sobre Hillary, inclusive tratando como secundário o fato de a Democrata ter sido claramente beneficiada no caso dos e-mails privados, quando o FBI simplesmente solicitou que o caso fosse encerrado sem nenhuma acusação contra a candidata.

O que estamos vendo, hoje, é uma clara estratégia de propaganda se desenrolando. Muitos pensam que a esquerda brasileira não tem nada a ver com a americana, mas isso é um ledo engano. Os Democratas, se têm algo de diferente de partidos como PT ou PSDB, é justamente no que diz respeito a sua eficiência. Eles são essencialmente iguais, o que muda é o contexto cultural e histórico.