16 de julho de 2016

Improbidade administrativa, estelionato eleitoral e muita cara de pau

Alguns grandes jornais têm se aproveitado de um parecer emitido pelo MPF que "inocenta" Dilma das pedaladas fiscais, uma das principais acusações contra ela no processo de impeachment. Obviamente os petistas e seus aliados também se aproveitam disso para tentar novamente reforçar a narrativa do "golpe". O que estão ignorando, de propósito, é que o mesmo parecer responsabiliza Dilma por coisa ainda pior: improbidade administrativa e estelionato eleitoral.

O tal procurador Ivan Marx (sugestivo nome, aliás) entendeu que Dilma não teve participação ativa nas tais pedaladas, o que destoa de outros pareceres, como o que foi emitido por unanimidade no Tribunal de Contas da União. Entretanto, o mesmo parecer de Marx identifica, de maneira clara e contundente, a prática de crimes piores, como a maquiagem que foi feita - e que todos sabiam - nas contas públicas durante período eleitoral.

Tudo isso é irrelevante a essa altura, os fatos já são de conhecimento público. A começar, foram os próprios petistas que confirmaram ter praticado as pedaladas. Dilma e Lula admitiram isso sob o pretexto de "bancar os programas sociais" - e tem vídeo para mostrar, só ver no fim do texto. O fato de a imprensa ter estampado o parecer do MPF de forma tendenciosa, ignorando as partes que incriminavam ainda mais a presidente afastada, só evidencia ainda mais aquilo que critico frequentemente. Esses veículos largaram o jornalismo para fazer propaganda.


ARTIGOS RELACIONADOS