4 de julho de 2016

Aumenta a procura por clubes de armas para LGBT após massacre de Orlando

Depois do ataque terrorista em Orlando e a consequente morte de 49 pessoas, a maioria homossexuais, a procura por clubes de armas voltado ao público LGBT mais do que dobrou nos EUA.

Matt Schlentz, presidente da organização Pink Pistols, de Utah, afirmou em entrevista ao Salt Lake Tribune que a entidade passou de 1.500 membros para mais de 4 mil após o atentado. Matt também disse:
"É muito triste que algo desse tamanho tenha que ter acontecido para que eles percebessem que esta é uma necessidade para a nossa comunidade. Mas a verdade é que continuamos a ser atacados por beijarmos nossos parceiros, por andarmos de mãos dadas em público. Jogam pedras em nossas janelas quebradas por termos um adesivo pela liberdade."
Este é Matt, com seu fuzil AR-15, mesmo modelo usado pelo atirador Omar Mateen