25 de julho de 2016

A hipocrisia e o oportunismo de Eduardo Suplicy

O petista Eduardo Suplicy, ex-senador e agora pré-candidato a vereador em São Paulo, participou hoje de um protesto contra a reintegração de posse na Cidade Educandário, perto da rodovia Raposo Tavares. O terreno, ocupado por centenas de famílias pobres, pertence à Prefeitura de São Paulo. A mando direto da prefeitura, a polícia foi lá apenas cumprir um mandado judicial, e o ex-senador acabou detido por oferecer resistência.

Claro que isso não foi nada além de um golpe de marketing feito por um homem desesperado. Suplicy não se elegeu ao Senado em 2014 e está, hoje, no limbo da política brasileira, ainda mais por ser do PT. A eleição para vereador ocorre em poucos meses e seria realmente uma vergonha se ele perdesse, então fica bem fácil entender que a encenação toda tem apenas a finalidade de chamar atenção da mídia, já que o ex-senador não era assunto há muito tempo.

A "piada", no entanto, é que o prefeito de São Paulo é ninguém menos que Fernando Haddad, do mesmo partido de Suplicy. Curiosamente, no Twitter, o ex-senador não teceu nenhuma crítica ao prefeito, mas ao governador Geraldo Alckmin, que é do PSDB. Isso serve, na realidade, para escancarar a hipocrisia e o verdadeiro teatrinho que foi esse protesto. Se Suplicy estivesse de fato preocupado com essas famílias, em vez de fazer uma encenação ridícula e inútil, teria corrido para dialogar com o prefeito de seu partido e tentar resolver a situação de outras maneiras.

Suplicy se deu bem, já que seu plano de voltar a aparecer na mídia funcionou. Vamos ver, agora, é se o povo paulistano irá engolir essa palhaçada ou se vão perceber que se trata de uma artimanha fajuta de um político totalmente desesperado.