23 de junho de 2016

Tchau, Querida! - Returns

Dilma ainda nem terminou de cair e o PT continua a desmoronar. As boas notícias de hoje são:


2) A Polícia Federal entrou na sede do PT, em São Paulo, para apreender documentos e computadores.

3) Leonardo Attuch, diretor do site de boatos petistas Brasil 247, foi levado coercitivamente para depor, suspeito de ter recebido verbas astronômicas para fazer proselitismo em prol de Dilma.

A senadora Gleisi, provavelmente, é a próxima da lista, pois além de ser a esposa do novo preso, ela é também investigada e já teve até mesmo um pedido de indiciamento por recebimento de propina, em abril. A Polícia Federal está na cola da senadora petista e não é de agora, com a prisão de seu marido e novas provas recolhidas na sede do partido, Gleisi ficou um pouco mais perto da cela. Hoje, até o advogado de Gleisi recebeu mandado de prisão, há poucas horas. Aparentemente não vai ficar ninguém de pé. Vai ver é esse o desespero que levou o PT a articular contra a Operação Lava-Jato.

É importante lembrar que Gleisi e Paulo Bernardo chegaram longe, foram considerados o casal mais poderoso dentro do PT. Ele como Ministro das Comunicações de Dilma, ela como Ministra da Casa Civil. Antes, não é errado supor, o objetivo da senadora era galgar caminho à presidência, seguindo o rastro da própria Dilma Rousseff. A bonequinha de luxo petista não contava com o azar de virar alvo das investigações. O rolo compressor da República de Curitiba, representado pela Operação Lava-Jato e pela icônica figura de Sérgio Moro.

Talvez possamos, em breve, comemorar a prisão de mais um dos grandes símbolos do Partido dos Trabalhadores, e aí estaremos mais perto ainda de fechar o ciclo. No final, não vai sobrar ninguém para apagar as luzes e trancar a porta na sede do partido.

O site O Reacionário, a propósito, escreveu belas frases sobre o assunto:


"A prisão de Paulo Bernardo e do advogado Guilherme de Salles Gonçalves representam um duro golpe contra a senadora Gleisi Hoffmann. Muito já foi dito aqui no blog sobre o casal que já foi o mais poderoso da República durante os anos de Dilma Rousseff. Ele Ministro das Comunicações, ela da Casa Civil. Gleisi chegou a ser chamada de “Dilma de Dilma”, já que Dilma se tornou a ministra mais forte do governo Lula e assim pavimentou sua sucessão à presidência da República. É claro que não vai acontecer com Gleisi, já que o seu destino será a República de Curitiba, na condição de prisioneira."