30 de junho de 2016

Quem escracha os íntegros está do lado dos criminosos

Conforme postagem feita hoje pela manhã, a Dra Janaína Paschoal, autora do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, foi atacada por uma manada de petistas raivosos no aeroporto de Brasília. Vendo o vídeo, dá para imaginar o que poderia ter acontecido se não houvesse mais gente ali. Mesmo diante de um monte de testemunhas alguns tentaram agredi-la fisicamente.

Esse tipo de coisa tem sido comum: o escracho. E não são só os petistas que o fazem, naturalmente. Dias atrás o deputado da linha auxiliar do PT, Jean Wyllys, estava em um restaurante junto com outros políticos da base petista, comendo algumas iguarias no exterior, quando um homem começou a xingá-los. Também fizeram isso com Guido Mântega e outros políticos ligados ao PT em diversos locais, bem como fizeram com o petista José de Abreu, que rendeu o caso da cuspida.

O ponto, aqui, nem é criticar o escracho em si. Algumas pessoas merecem mesmo ser escrachadas por seus crimes e por suas posturas nefastas. No entanto, escrachar pessoas íntegras, honestas e que estão lutando por um estado de coisas um pouco melhor é, sem dúvida nenhuma, exclusividade de quem é criminoso ou cúmplice. Aqueles que escracham Janaína são eleitores do PT, e provavelmente muitos deles devem ter seu rabo preso em alguma estatal. Certamente não são pessoas honestas e íntegras, mas larápios de menor potencial. O fato de serem pequenos ladrõezinhos faz com que se compadeçam dos grandes ladrões, até porque é isso que mantem uma cleptocracia como a que se instaurou no país.

Quem escracha Sérgio Moro ou Janaína Paschoal certamente é gente que deve na praça, que falsifica o cartão ponto no serviço público, que vai ao médico fingir que está doente para pegar atestado. São pessoas que conseguiram um emprego, muitas vezes até medíocre, por serem apadrinhados de algum prefeito ou vereador qualquer, ou porque trabalharam na campanha eleitoral de alguém, dentre outras pequenezas feitas por indivíduos com mentalidade golpista, mas sem poder suficiente para incomodar um país inteiro. Quem escracha os honestos são os desonestos.