28 de junho de 2016

Feministas tentaram derrubar Thaís Godoy, agora com provas!

No mês passado publiquei por aqui o caso de Thaís Godoy, uma ativista anti-feminista, moderadora da página do Facebook chamada Moça, não sou obrigada a ser feminista!, que justamente denuncia e expõe os absurdos do movimento feminista radical. Ela foi processada por, basicamente, dizer suas opiniões. Obviamente esta perseguição é coisa da patrulha ideológica da extrema-esquerda, e disso não temos dúvida alguma. O ponto é que hoje recebi uma mensagem, de uma colega que prefere permanecer anônima, e que é no mínimo uma evidência de que esta perseguição contra Thaís era muito anterior a este processo.

Minha colega, que aqui chamarei pelo nome fictício de Mariana, me enviou a seguinte mensagem no Facebook:
"Roger, olha só isso aqui
(Print de tela*)
A moça tava pedindo pra mim denunciar o vídeo da Thais Godoy
Moça, não sou obrigada a ser feminista - LIBRAS
Vídeo que fiz para a página https://www.facebook.com/forafeminismo2/ explicando em LIBRAS algumas das razões pelo qual não sou feminista! ;)
youtube.com
faz tempo isso, é de março, mas eu só vi agora
E tem outras também que vou te mandar pedindo pra dennciar a Thais
tavam todas nas caixas de spam
se puder mantenha meu nome em sigilo pq eu ando com mtos problemas agora pra me preocupar com mais isso ainda
mas publique o assundo!!
não deixe essas desgraçadas fazerem isso"
Para que entendam melhor, minha colega, a Mariana, recebeu em sua página sobre feminismo no Facebook uma mensagem enviada por uma garota que pede para denunciar um vídeo de Thais Godoy no Youtube. A mesma mensagem também envia o link de uma postagem da página de Thais, que já foi deletado, provavelmente até pelas denúncias feitas. O print que minha colega enviou é este:


Mariana me informou que não havia visto essa mensagem antes, apesar de ela ser de março, porque foi para a caixa de spam da página. Todavia, tal ato mostra que houve a clara organização de um movimento contra Thais. É provável que esta mesma mensagem tenha sido mandada a diversas páginas sobre feminismo, na esperança de que estas divulgassem e as denúncias ocorressem em massa. Minha colega, a que enviou o print, é administradora de uma pequena página chamada "Feminismo, Liberdade e Voluntarismo", que se identifica como libertária e contra o feminismo extremista da esquerda.

O vídeo de Thais no Youtube, que a tal Aline Medeiros pede para denunciar, é este:


Dando uma rápida averiguada no perfil da tal Aline Medeiros no Facebook, encontrei seu Twitter e sua página no About.me. Aline se diz jornalista, é de esquerda e compartilha links de sites feministas. Encontrei, inclusive, uma matéria do G1 que se refere a uma jornalista "Aline Medeiros, 30 anos, que trabalha na assessoria do governo do Piauí", mas não consegui verificar se é a mesma pessoa.


ARTIGOS RELACIONADOS