17 de junho de 2016

E mais uma "fanfic de esquerda" foi longe demais. Até quando?

Essa gente desprezível da elite pseudo-intelectual universitária não tem limites. Mais uma estorinha mal contada desmoronou hoje.

Dessa vez, um rapaz chamado Daniel Bezerra Junior, estudante de Relações Públicas, através de sua conta no Twitter (@danielbsjr), denunciou um estupro que ele supostamente presenciou no campus da Universidade Federal de Goiás, em Goiânia. O caso repercutiu o suficiente para virar caso de polícia, até porque estupro é um dos poucos crimes que nossas autoridades realmente levam a sério e costumam investigar. 

Assim como no caso denunciado por aqui semana passada, da garota no Rio Grande do Sul que mentiu sobre ter sido estuprada, neste aqui a investigação da polícia acabou rapidamente concluindo o caso. Pela segunda vez em poucos dias, uma grande mentira veio abaixo e a conduta criminosa e desprezível dos criadores de fanfics foi exposta.

Para nosso contento, a mentira foi desvendada muito rapidamente, visto que o autor da estorinha não foi inteligente o bastante para ocultar as provas que ele próprio criou contra si mesmo. Neste link, é possível ver o vídeo em que Daniel aparece movendo uma câmera que ficava virada para o banheiro masculino da Universidade. O detalhe é que ele moveu a câmera no dia 7, mas só fez a denúncia do suposto estupro no dia 14. Ou seja, ele planejou isso durante uma semana.

No dia 15, apenas um dia após a denúncia de Daniel nas redes sociais, alunos aproveitaram a deixa para "protestarem contra a cultura do estupro", o que na verdade foi só uma desculpa para fazerem o que sempre fazem, ignorando o fato de que a tal garota estuprada sequer existia de verdade.

Esse tipo de coisa tem se tornado comum e não podemos deixar que passem incólume. Quem conta essas mentiras deve ser exposto, ridicularizado e até mesmo criminalizado. São pessoas irresponsáveis, são fanáticos dispostos a qualquer coisa para chamar atenção para as suas bandeiras. Além disso, mais uma vez desacreditam as mulheres que realmente sofreram abusos.