3 de junho de 2016

DOSSIÊ | Ciro Gomes


Ciro Gomes tem como sua principal marca uma grosseria estraçalhante, algo que seria até engraçado se utilizado apenas contra seus adversários, mas que não é tão legal assim quando utilizada contra os cidadãos que o sustentam em sua longa vida política parasitária. Ciro é conhecido por proferir frases absurdas como "Fortaleza é um puteiro a céu aberto".
- Iniciou sua carreira política disputando nas eleições da UNE (União Nacional dos Estudantes) em 1979, concorrendo ao cargo de vice-presidente pela chapa Maioria, ligada ao ARENA, partido de sustentação da Ditadura Militar. Na época isso foi uma tentativa do governo de se infiltrar nos núcleos estudantis. (Fonte)

- Em 1980, o antigo ARENA se tornou PDS, e dois anos depois Ciro Gomes se elegeu deputado estadual pela sigla. (Mesma fonte anterior)

- Um ano após sua eleição, Ciro saiu do PDS e se filiou ao PMDB, partido que fazia oposição ao Regime. Em 1986 reelegeu-se deputado estadual pelo PMDB. (Mesma fonte anterior)

- Em 1988, ao lado de Mário Covas e Tasso Jereissati, Ciro Gomes fundou o PSDB. No mesmo ano é eleito prefeito de Fortaleza, capital do Ceará. (Mesma fonte anterior)

- Nas eleições de 1989, em segundo turno, Ciro Gomes deu apoio ao candidato Lula, do PT. (Mesma fonte anterior)

- Em 1990, Ciro Gomes se elegeu governador do Ceará pelo PSDB, cargo que ocupou de 1991 até 1994. Ele foi o primeiro governador do PSDB a ser eleito. (Mesma fonte anterior)

- Em 1994, a convite de Itamar Franco, Ciro assumiu o Ministério da Fazenda
(Mesma fonte anterior)

- Ciro permaneceu no PSDB até 1996, tendo apoiado em 1994 a candidatura de Fernando Henrique Cardoso. Filiou-se ao PPS, antigo Partido Comunista, e em 1998 concorreu pela primeira vez à Presidência da República, ficando em terceiro lugar. 
(Mesma fonte anterior)

- Em 2002, Ciro Gomes novamente disputou a presidência pelo PPS e novamente ficou em terceiro lugar. Mostrando sua completa desfaçatez, apoiou Lula no segundo turno contra José Serra, a quem anos antes defendia com unhas e dentes.(Fonte 1) - (Fonte 2)

- Durante a corrida eleitoral de 2002, em agosto, o então candidato a presidente Ciro Gomes concedeu entrevista à Folha de São Paulo na qual falou sobre Patrícia Pillar, sua então esposa. Na entrevista, Ciro fez um comentário no mínimo desrespeitoso para com a própria esposa ou até mesmo com as mulheres em geral, dizendo: "A minha companheira tem um dos papéis mais importantes, que é dormir comigo. Dormir comigo é um papel fundamental." (Fonte)

- Ciro Gomes também mentiu em 2002, durante o segundo turno das eleições, ao dizer que lutou contra a Ditadura Militar. A verdade é que ele não apenas não lutou contra como a apoiou, sendo membro do partido do Regime e tendo até sido eleito por ele. (Fonte)

- Em 2003, após a derrota nas urnas, Ciro se desfilia do PPS por sua oposição ao governo Lula e entra no PSB, sendo então chamado pelo presidente Lula para o Ministério da Integração Nacional. (Fonte)

- Em 2005, Ciro defendeu Lula durante o escândalo do Mensalão, alegando que tudo foi uma conspiração contra o então presidente. (Fonte)

- Victor Samuel Cavalcante da Ponte, amigo, braço direito de Ciro e então diretor do Banco do Nordeste, foi acusado em 2007 de fraudar dados de uma dívida da empresa Frutas do Nordeste do Brasil S.A., reduzindo-a de R$ 66 milhões para R$ 6,5 milhões. Na ocasião, Victor teria violado determinação direta da Advocacia Geral da União, e a Revista Época noticiou o caso mostrando uma carta assinada por Ciro Gomes a empresários do Ceará, alegando que seu amigo Victor falava em seu nome, em nome de Cid Gomes e em nome do próprio PSB, dando a entender nesta carta que o dinheiro seria utilizado em campanha política do partido. (Fonte)

- Em 2009, no Congresso Nacional, Ciro soube da acusação feita pelo Ministério Público de que ele teria usado dinheiro da Câmara - portanto dinheiro nosso - para financiar as viagens internacionais da própria mãe, e disse: "Ministério Público é o caralho! Não tenho medo de ninguém." (Fonte)

- A Polícia Federal divulgou, em 2010, que teria documentos gerando suspeita de desvio de mais de R$ 300 milhões das prefeituras do estado do Ceará, praticado entre 2003 e 2009, e a investigação recaía sobre os irmãos Ciro e Cid Gomes. (Fonte)

- Em 2010, durante a corrida eleitoral, Ciro Gomes deu duas entrevistas para veículos de imprensa brasileiros. Nelas, reconheceu Dilma como uma candidata inferior a José Serra e diz que Lula e o PT praticaram golpismo contra o governo FHC, segundo ele com obra fundamental para o Brasil, o Plano Real. Entretanto isso contradiz o que foi dito por ele próprio na entrevista concedida ao programa Memória Viva, quando afirmou que FHC deu um golpe em Tasso Jereissati. (Fonte 1) - (Fonte 2)

- Apesar de ter dito que José Serra era mais preparado do que Dilma, Ciro não apenas apoiou a petista no segundo turno como também virou Coordenador de sua campanha. (Fonte)


- Em 2012, quando Ciro apoiava um candidato para a prefeitura de Fortaleza, Ceará, ele esteve na região em um comício e foi duramente criticado por Roberto Pessoa, Partido da República, que também era prefeito de Maracanaú na época. Dentre as críticas feitas por meio de carta, há inúmeras acusações de crimes políticos e corrupção envolvendo Ciro, Cid Gomes e aliados da família. A carta foi publicada pela Revista Época e Ciro não processou Roberto Pessoa nem mesmo a revista pelas acusações, o que deixa o caso ainda mais suspeito. (Fonte)

- Ciro foi nomeado Secretário da Saúde do Ceará pelo próprio irmão e então governador Cid Gomes, em 2013, pouco tempo depois de ter elogiado o Programa Mais Médicos do governo federal, um projeto de escravização de cubanos que serve para enviar dinheiro aos irmãos Castro. (Fonte 1) - (Fonte 2)

- Em 2014, numa comitiva que contava com a presença de Arthur Chioro, então Ministro da Saúde do governo Dilma, uma senhora que ali estava questionou Ciro Gomes sobre a real necessidade das obras da Copa do Mundo, considerando que os hospitais estavam precários. Ciro a destratou, praticamente ignorando a pergunta, e quando um dos membros da comitiva puxou conversa com a mulher, ele puxou o homem para dentro dizendo: "'Ela não quer tratamento nenhum, deixa ela se virar com a Copa do Mundo dela aí." (Fonte)

- Ciro saiu do PSB e foi para o PDT em 2015, o partido de Leonel Brizola e que também foi base aliada do governo petista até início do ano passado. (Fonte)

- Em setembro do ano passado, Ciro foi acusado pelo Ministério Público Federal por improbidade administrativa. Segundo o Procurador Celso Leal, a razão das acusações foi a constatação de diversas irregularidades na implantação do Sistema de Atendimento Médico de Urgência, o SAMU, enquanto Ciro ainda era Secretário de Saúde do Ceará. A Justiça chegou a determinar o bloqueio de R$ 1,9 milhão que teriam sido usados "indevidamente". Atualmente Ciro é réu neste processo. (Fonte 1) - (Fonte 2)

- Em março deste ano, Ciro publicou em sua conta do Facebook críticas ao Juiz Sérgio Moro, alegando que ele é um "inimigo do Brasil". (Fonte)

- Virando a casaca mais uma vez, em março deste ano Ciro disse ser favorável às investigações contra o ex-presidente Lula, tendo apenas se posicionado contra a ação da Polícia Federal. (Fonte)

- Ainda em março deste ano, durante protestos contra o ex-presidente Lula e a contra o PT, manifestantes se aproximaram da residência de Cid Gomes.. Em vídeo gravado pelos próprios manifestantes, dá para ver Ciro Gomes gritando histericamente e esbravejando contra as pessoas ali presentes, acusando-as de fascismo por criticarem seu irmão, que minutos antes defendia Dilma Rousseff. No mesmo vídeo o talvez futuro candidato chama Lula de "merda" e diz que ele não é inocente, e insinua que quer dar um tiro na cabeça de quem está ali. (Fonte)

- Em junho de 2016, em entrevistas concedidas ao Diário do Centro do Mundo e O Globo, Ciro Gomes declarou que estaria disposto a "sequestrar" o ex-presidente Lula em caso de pedido de prisão contra ele, de modo a levá-lo fugitivo da justiça a uma embaixada estrangeira no Brasil, onde as leis do país não possuem jurisdição, e assim conceder a ele o "direito de defesa". (Fonte 1) - (Fonte 2)

Conclusão: Ciro Gomes não tem ideologia. Até pode pender um pouco para a esquerda, mas não é difícil imaginá-lo apoiando qualquer um em troca de poder. Sua trajetória mostra um político com a convicção de que deve estar sempre em busca de cargos, e na maioria das vezes Ciro nem mesmo chegou a completar seus mandatos, sempre saindo para ocupar um posto diferente no governo vigente. Outra coisa interessante é sua característica fisiológica de estar no governo de quem quer que seja. Foi Ministro de Itamar, trabalhou com FHC, trabalhou com Lula, com Dilma e possivelmente será candidato em 2018, vindo a apoiar quem tiver mais chances de vencer no segundo turno. É um oportunista da pior estirpe.


DOSSIÊS RELACIONADOS

Jair Bolsonaro
Luciana Genro
Marina Silva
José de Abreu