9 de junho de 2016

Clinton e Sanders: contra a desigualdade, vivendo em ostentação.

Hillary e seu casaco de tweed da grife Giorgio Armani.

Sim, nós precisamos pegar no pé de pessoas que ladram por aí seus discursos contra a desigualdade social enquanto vestem roupas que custam o mesmo preço do carro de um trabalhador. Não porque estas pessoas sejam ricas, que fique claro! Eu não criticaria Patrícia Abravanel ou Kim Kardashian por usar roupas caras, uma vez que elas, bem ou mal, trabalharam para ter aquilo (ou herdaram, mas ainda assim de forma honesta).

O problema de Hillary é sua hipocrisia. Ela não é apenas rica, ela é rica com o dinheiro das pessoas que trabalham para sustentá-la. A desigualdade social que ela ataca é causada justamente por gente como ela, que destrói o valor de trabalho dos mais pobres. A origem da riqueza de Hillary é o imposto pago pelo cidadão americano, não é um dinheiro que vem de clientes, de fãs que a sustentam por opção própria.

Claro, apesar de a imprensa não dar tanto enfoque, os americanos também sabem disso. E é como a garota deste tweet escreveu:

Traduzindo:
"Hillary deu um discurso usando um casaco de tweed Giorio Armani de US$12.495 dólares, humm… ela sabe tudo sobre como é ser pobre, certo?"

Seu concorrente interno, Bernie Sanders, também não é muito diferente. Afinal de contas, andar de carro de luxo esportivo por aí não é exatamente coisa de gente que entende o que é pobreza. Ainda mais se o carro foi comprado com grana recebida para sua campanha eleitoral.