28 de junho de 2016

Ciro Gomes é cúmplice de Lula, agora assumido!

O ex-deputado, ex-governador e ex-ministro Ciro Gomes, atualmente pré-candidato à presidência da República pelo PDT, tem sido considerado o símbolo de renovação da esquerda ao lado de Marina Silva.


Em entrevista concedida ontem ao Diário do CuCentro do Mundo, o coronel declarou com todas as letras que estaria disposto a "sequestrar Lula" para protegê-lo de uma "prisão arbitrária". Ele repetiu a mesma fala ao jornal O Globo, veja por si mesmo:
"Pensei: se a gente formar um grupo de juristas, a gente pode pegar o Lula e entregar numa embaixada. À luz de uma prisão arbitrária, um ato de solidariedade particular pode ir até esse limite. Proteger uma pessoa de uma ilegalidade é um direito disse Ciro ao GLOBO."
Isso tem um nome: Formação de Quadrilha, artigo 288 do Código Penal.

O que Ciro sugere, na prática, é que em caso de pedido de prisão do ex-presidente Lula, ele estaria disposto a proteger o criminoso das leis, ajudando-o a escapar da polícia e lhe conseguindo asilo fora da jurisdição das leis brasileiras. Para quem não sabe, as leis do país não têm validade dentro da embaixada de um país estrangeiro, mesmo que esta embaixada esteja dentro do Brasil. Caso essa ameaça de Ciro venha mesmo a ser concretizada, ela consiste em cumplicidade assumida com o crime.



É provável, no entanto, que o coronel não tenha culhões para fazer nada disso. Talvez ele só tenha dito coisa do gênero para chamar atenção e voltar a ser assunto nas principais mídias do país, além, é claro, de se tornar um "herói" para quem aprecia criminosos assumidos: a extrema-esquerda.

Ciro Gomes é mesmo incorrigível. Sempre foi um oportunista em busca de poder político.



ARTIGOS RELACIONADOS

DOSSIÊ | Ciro Gomes