16 de junho de 2016

Cardozo cita o "jurista" Tomás Turbando, aquele que faz "justiça" com as próprias mãos.


Hoje o ex-Ministro da Justiça e também ex-Advogado Geral da União, o senhor José Eduardo Cardozo, cometeu uma gafe bizarra ao citar uma lista com supostos juristas durante sua defesa de Dilma. Apesar de ser engraçado, visto que na lista estava o "jurista" Tomás Turbando, o que obviamente foi sacanagem de algum estagiário, o episódio nos prova algo importantíssimo, como bem disse Gustavo Nogy:
O ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo citou, para corroborar a tese sustentada pelo governo de que o impeachment é golpe, o renomado jurista Tomás Turbando, que certamente tem todas as virtudes esperadas de um excepcional jurista, salvo a única imprescindível: existir. Esse tipo de coisa não é somente gafe, vergonha, galhofa. Esse tipo de coisa é mais uma prova de como somos governados por bandidos, estelionatários, néscios. Por tipinhos que colam na prova e copiam o trabalho do colega. A única atitude moral esperada de qualquer brasileiro é não dar a eles crédito nenhum. Há golpe? O governo é o golpe. [Destaques nossos]
 O vídeo com a gafe pode ser conferido aqui:

video

Certamente alguém lhe pregou uma peça dando a ele uma lista com nomes aleatórios, e isso acabou vindo a calhar, haja vista que mostra um misto de mau caratismo e desespero. Já sabemos que Cardozo agiu ilegalmente quando utilizou o aparato da AGU na defesa de Dilma, também já sabemos que ele fez isso por interesses políticos. O que não sabíamos, até então, era o nível de pilantragem do sujeito, capaz de fazer qualquer coisa, por mais ridícula que seja, para defender o partido e uma presidente corrupta.