9 de junho de 2016

A palhaçada das 'fanfics' de esquerda já foi longe demais!

Este homem, que não sei quem é, foi vítima de uma falsa acusação de estupro.


Segundo matéria publicada pelo G1, uma jovem universitária do Rio Grande do Sul inventou uma estória sobre ter sido estuprada, o que resultou em toda uma investigação e gerou revolta, sobretudo porque um homem que nada tinha a ver com isso foi envolvido.



Em primeiro lugar, vamos dar o nome certo a esta manchete? A garota não "voltou atrás", ela apenas admitiu ter mentido porque descobriram todos os detalhes sobre o caso a ponto de que ela não pudesse mais sustentar a estória criada. Não é como se tivesse se arrependido pelo que fez, é mais como se tivesse sido pega de tal modo que não havia como escapar mesmo.

O segundo ponto que deve ser nosso foco aqui: fanfics! A garota mentirosa entrou na onda das fanfics de esquerda, aquelas estorinhas que são contadas na internet para tentar fingir que coisas aconteceram sem que tenham acontecido, tudo com viés ideológico. Ela achou por bem que inventar um caso de estupro contra si própria lhe daria notoriedade, ou talvez estivesse tentando entrar em um movimento feminista e precisava passar pela "prova". Nunca saberemos.

Houve um tempo em que podíamos achar essas mentiras engraçadas, quando elas eram tão toscas que nem de longe pareciam verdade. Ou quando eram irônicas a ponto de nos tirar um sorriso do rosto. Agora já não dá mais. Um homem inocente, por causa dessa palhaçada irresponsável e criminosa, foi espancado por ter sido confundido com um estuprador que nem mesmo existe. E aí vemos feministas aparecerem com essa conversa de "cultura do estupro", quando a verdade é que o estupro é tão intolerável em nossa sociedade que pessoas espancam outras pessoas pela mera suspeita do ato.

É lamentável, inclusive, que a pena para quem comete esse tipo de crime - o de denunciar falsamente alguém - tenha punição tão branda. O que essa garota fez deveria, sim, ser punido severamente, pois é de uma imensa falta de empatia e responsabilidade sair por aí inventando estorinhas assim. Quando as fanfics mentem com papos bobos e cotidianos, apesar de ser algo calhorda de qualquer jeito, é pelo menos inofensivo, mas não é este o caso aqui. O que essa "estudante" fez é algo extremamente grave. E não é o único caso, aliás. Falsas denúncias de estupro são constantes, o que na prática aumenta ainda mais a desconfiança com mulheres que denunciam os abusos que elas sofreram de verdade. Ou seja, mais uma vez o movimento feminista serve justamente para prejudicar as mulheres.


Como se não bastasse todo o ocorrido, a delegada (ou o G1, nunca saberemos*) declara um "voto de piedade" para a criminosa, dizendo que ela provavelmente tem "abalos psicológicos". No entanto, não há o que amenizar. E mentir esse tipo de coisa não é típico de quem tem problemas psicológicos, mas de quem tem problemas éticos e morais tão graves a ponto de colocar vidas em risco para espalhar sua ideologia torpe.

Está na hora de acabar de vez com a palhaçada das fanfics. Temos é que investigar, sempre que possível, cada uma dessas histórias e começarmos a expor a canalhice de quem as inventa para ganhar likes na internet ou propagar ideologias criminosas.

(*Considerando a "pequena gafe" do G1 no fim de semana, sobre o caso do MST, procurei outras fontes para confirmar a informação. De fato, aconteceu mesmo.)