27 de maio de 2016

Olavo - O Analista de Schrödinger (parte 1)

Olavo de Carvalho apoia e não apoia absolutamente todas as coisas. Tal como o gato de Schrödinger, que não sabemos se está vivo ou morto antes de abrirmos a caixa, Olavo também não sabe se é contra ou a favor das coisas, mas ora ele diz que sim e ora diz que não, ciente de que em algum momento os resultados aparecerão e então ele poderá dizer que apoiou - ou que não apoiou - algo que deu ou não deu certo.

A tática é basicamente ficar postando inúmeras bobagens repetidas vezes ao dia, uma contradizendo a outra. Quando alguém o questiona sobre as contradições, sua resposta é a de que "não se trata de uma análise fechada", ele diz que ainda está só avaliando as circunstâncias. Sim, sabemos...

Como dito no artigo de ontem, o Professor Aloprado mente sobre suas motivações atuais para ser contra o impeachment, e mente até sobre sua suposta influência no processo. Além de ter tentado sabotar os movimentos de rua após puro egocentrismo, Olavo também esperou até que o processo chegasse a ter algum sucesso (o que ocorreu com o afastamento de Dilma) para então fingir que ajudou nisso ou, pior ainda, que ele foi a principal inspiração.

Em um vídeo de setembro do ano passado, para deixar claro a que veio, Olavo disse com todas as letras que o "símbolo" por trás do impeachment era ele, e que não era justo pessoas "inferiores" como Fábio Ostermann ou Kim terem destaque enquanto ele era deixado para escanteio. Quanto a ter sido tudo por ego ferido, não há mais dúvidas, portanto. O que resta agora é evidenciar que o filósofo de boteco tem por hábito trocar de posição como quem troca de camisa, e suas mudanças acontecem quase de forma mágica.

Vejam, por exemplo, o que Olavo diz atualmente sobre o impeachment e os movimentos que lutaram por isso:

O post acima é curioso vindo de alguém que chorou por meses após ser demitido como colunista d'O Globo, sendo que hoje critica Kim Kataguiri por escrever para a Folha de São Paulo.


Este é o Olavo deixando claro que o impeachment não deveria ser a estratégica, e sim a anulação das eleições. Nem vou entrar no mérito agora, vamos só analisar.

Ok, Olavo.

Aqui, Olavo mente. E logo vocês verão. No entanto, há algo curioso a ser analisado. Notem que para o Professor Aloprado, a estratégia correta é algo excepcionalmente complexo. Ele sugere que seria necessário atacar não apenas o PT, mas todas as suas afiliações a nível mundial. Ok. Não é uma ideia tão ruim, mas quem teria poder para isso? O Movimento Brasil Livre? Janaína Paschoal? Reinaldo Azevedo? Duvido muito. E que tal um homem chamado Olavo de Carvalho, que jura aos quatro ventos ser mundialmente reconhecido, que se gaba por ter ganhado uma medalha de uma teocracia muçulmana e que insiste na tese de ser, sozinho, o mentor intelectual de toda a direita brasileira?

Fato é que a estratégia sugerida é tão ampla e complexa que nem mesmo o próprio Olavo tentou aplicá-la. Afinal, se ele tem mesmo toda a influência que diz ter, se auto-declarando o mentor de pelo menos duas gerações da direita brasileira, o que o impediu de levar tal projeto a cabo? Meu palpite é um só: ele sabe que é uma estratégia ruim e intangível. Se acreditasse na proposta teria ele mesmo posto em prática, não teria se limitado a cobrar que outros fizessem, muito menos teria depositado suas esperanças em gente que, segundo ele próprio, não tem nenhuma competência. Olavo é um trapaceiro sem limites, isto sim.

Em meu entendimento, vejo que a ideia de atacar o comunismo a nível internacional não é errada, mas é preciso um cenário e os meios propícios para levar tal plano adiante. O que Olavo fez para contribuir com isso? Nada. O MBL, ainda com suas falhas, pelo menos levou uma demanda para frente e ajudou a atendê-la. Se Olavo acha que outras demandas de menor escala precisariam se tornar o foco, e se ele acreditasse em sua própria sugestão, teria incentivado os seus "milhões" de seguidores a elaborar um projeto e trabalhar com as janelas de Overton. Isso seria capaz de expandir a demanda. Qualquer coisa diferente disso é palpite de charlatão.

Agora, veja o que Olavo dizia antes de sua birrinha com o Kim, e perceba o quão mentiroso é este homem:


No print anteriormente colocado, Olavo disse que em março de 2015 já defendia que o impeachment não era a estratégia correta. No entanto, neste print podemos ver exatamente o oposto. Olavo, em março do ano passado, apoiava o impeachment de Dilma e até compartilhava postagens diretamente da página do MBL.

E não para por aí. Vejam só:


Esta é especial. O mesmo homem que diz que em março de 2015 era contra a estratégia do impeachment compartilhou, em setembro de 2015 (seis meses depois), esta petição online. É ou não é ridículo?

O que mais me intriga, contudo, é que além de mentiroso patológico Olavo também parece não ser muito entendido em informática. Será que ele nunca desconfiou que dá para buscar as postagens mais antigas na página dele?

 Mais uma vez, Olavo apoiando o impeachment.


Evidências não faltam. Olavo mentiu sobre o impeachment do começo ao fim, mudou de discurso diversas vezes e o fez por pura e simplesmente não ser homem para admitir seus erros.

Contudo, não para por aí. O "conservador" Olavo de Carvalho tem apelado para recursos no mínimo cínicos a fim de desmerecer a luta popular pela derrubada de Dilma. Nos posts a seguir, dá para encontrar o mesmíssimo padrão de discurso.

 1
 2
 3
4
A verdade é que não estou com tanto empenho para procurar, mas há pelo menos mais umas vinte postagens idênticas, com o mesmo padrão, trocando apenas algumas palavras. Basicamente, Olavo passou de um discurso como "tirar o PT do poder é a prioridade máxima" para "qualquer coisa é mais importante do que tirar o PT do poder." Ele inverteu sua própria lógica.

Outra das coisas estúpidas que o Professor Aloprado tem feito é reproduzir com exatidão os discursos da extrema-esquerda, a mesma que defende Dilma até a morte. E o post abaixo é uma das evidências disso.

Curiosamente, a resposta para Olavo e toda a sua palhaçada foi dada por um de seus próprios seguidores, que comentou justamente nesta postagem. É certo que o "filósofo" não irá responder, provavelmente irá até bloquear o rapaz. Contudo, a verdade foi dita. Caso encerrado.