7 de abril de 2016

Pautas Quentes | A garota do MBL e o deputado Bacelar

Quem me conhece sabe que tenho muitas ressalvas com o MBL - Movimento Brasil Livre. Tanto é que nunca fiz parte do grupo, não pretendo fazer e, de modo geral, nunca os ajudei, nem mesmo moralmente. Estas ressalvas têm mais a ver com o que penso e sinto em relação a pessoas específicas envolvidas, sobretudo dentro de minha cidade, Joinville. 

No entanto, ontem eu perambulava pelos grupos no Facebook e, justamente no grupo do EPL de Florianópolis, o Grupo Henry Maksoud, me deparei com o relato de uma garota, a Maria Eduarda, explicando que entrou em contato com o deputado João Carlos Bacelar, do PR, a fim de cobrar um posicionamento do parlamentar sobre a questão do impeachment. Abaixo, o relato que ela mesma escreveu sobre o ocorrido:
Hoje venho a público para informar algo muito triste.
Nós do Movimento Brasil Livre estamos na Operação Minerva, que consiste em pressionar os deputados indecisos a se posicionarem a favor do impeachment.
No meio a alguns bloqueios e respostas atenciosas, ia tudo correndo normalmente. Até o instante que o Deputado João Bacelar falta com o respeito, assediando uma menor de idade, porque no caso eu tenho 17 anos enquanto eu lhe cobrava um posicionamento político.
Esse é o tipo de deputado que você vota? Pois pra mim este senhor não vale o cargo que tem, muito menos vale a confiança que a população depositou nele.
Me sinto triste por termos políticos sujos deste jeito... Não me acovardarei diante disso, continuarei cobrando dos deputados, só espero que essa imagem não se repita em outras possíveis cobranças.
(Prints com nome e com o número para provar a veracidade dos fatos)
Nos prints, percebe-se que Maria Eduarda começa a conversa com o deputado educadamente. Ela apenas questionou seu posicionamento e cobrou uma resposta. Eu, em seu lugar, confesso que seria muito mais deselegante, pois não tenho o menor respeito por políticos, muito menos ainda tenho respeito por políticos do PR, um partido criado desde o princípio para servir ao governo PT.


Nos dois prints acima, nota-se que o deputado desrespeitou Maria Eduarda desde o princípio. Que espécie de adulto recebe uma mensagem com uma pergunta séria e responde com "Você é linda"? Seria menos patético ter apenas dito que não responderia a pergunta ou, se preferisse, simplesmente ignorar. No caso ele claramente se vê necessitado de passar uma cantada chinfrim em uma garota. Deve ser algum tipo de tarado que não faz sexo há anos, é o que acho.

A conversa continuou depois disso, mas creio não ser necessário explicar nada. Os prints fazem por si. Notem os xingamentos gratuitos e o desrespeito completo, insinuando até mesmo que uma garota de 17 anos é prostituta, que ela tem amantes, etc. Nada surpreendente vindo de pessoas que apoiam Lula. A linguagem chula e a falta de respeito são características dessa corja.


Como já deixei claro, não me surpreendeu em nada essa postura do deputado. Pelo contrário. Não espero nada positivo de parasitas, gente que acha normal viver às custas de um povo pobre mantendo um salário de milhares de reais e mais um monte de benefícios. Alguém que aceita isso e nem tentar lutar contra obviamente não possui respeito algum pela população. Entretanto, uma coisa neste caso me gerou certo desgosto, e foi a reação de muitos liberais diante disso. As reações que vi provam, mais uma vez, algo que digo há anos: liberais são extremamente idiotas, estúpidos e politicamente frágeis.

Por que digo isso? Simples. Li comentários feitos na postagem da Maria Eduarda que deixam claro, para mim, o quão pouco práticas estas pessoas são. Em geral, são moleques - intelectualmente falando - que não compreendem como o mundo realmente funciona. Não passam de gente que quer ter "opinião formada" e "senso crítico." Ouso dizer que, ao menos comportamentalmente, pouco difiram de adolescentes marxistas. Querem um mundo de ideias, mas nada muito prático e que exija ação offline.

Abaixo, os comentários mais idiotas que li, e depois deles farei meus comentários, na esperança de torná-los (os autores) menos idiotas.

Comentário idiota nº 1:

bom, eu não duvidei da veracidade, questiono mesmo o problema dessa pressão por um meio de contato pessoal. Não são cartas, ou emails chegando lá, mas esse é o tipo de contato que podem fazer a qualquer horário do dia.
Por ser um político até entendo ter alguma validade, mas não sei se é apropriado, bom, não sei o que dizer ainda.

 Comentário idiota nº 2:
No meu ponto de vista se esse celular for de uso pessoal ele tem todo o direito de falar o que quiser. hehe
Não lembro de whatsapp ser meio de contato formal com um deputado. Não é errado o que ele fez, só é lamentável.

Comentário idiota nº 3:
Ele só vacilou no "profissional", talvez ai role alguma coisa muito forçadamente, de resto ele mesmo sendo ridículo está no total direito dele.

Comentário idiota nº 4:
Tipo, vc entrou em contato com ele, vc ficou insistindo no diálogo...seria legal um pouco de maturidade e aceitar a trollada. Fico triste em ter que pagar impostos pra custear esse BO.

Comentário idiota nº 5:
então, é pessoal [o contato do deputado]. sinto muito moça ele pode sim fazer isso.
Já você por ter colocado o numero de celular pessoal dele e tentar difamar o cara pode ser acusada de algo.

Comentário idiota nº 6:
Eu entendo e até encorajo tornar pública essa conversa pra mostrar a baixeza do deputado. Agora fazer BO e se passar de vítima...por favor né. Vamos crescer um pouco.
Por outro lado ele é um político e todos eles merecem ser fodidos das mais diferentes formas. Então fico em dúvida mesmo.

Comentário idiota nº 7 - Este aqui é um verdadeiro banquete para quem gosta de estupidez no jantar:
O deputado não é obrigado a se posicionar em relação ao impeachment, ainda mais pelo whatsapp para uma desconhecida. Você o procurou, ele te achou bonita e te elogiou. Isso não é assédio - e a parte que ele te chama de profissional qualquer advogado de porta de cadeia resolve isso.
Você insistiu, como uma bela chata, e ele te mandou pra PQP, algo bastante justo. O lado bom disso é que você fez ele perder um tempo que talvez ele gastasse fazendo mais uma lei inútil.
Você perguntou a posição dele em relação ao impeachment já sabendo qual poderia ser a resposta, então você não quer realmente saber isso, quer apenas criar um caso, ou ainda, uma "fanfic real".


É...

Como podem ver, são doses cavalares de burrice política e de total falta de noção. Eu, quando leio coisas do gênero, tenho certa inclinação a torcer contra esses liberais. É nesses momentos que me questiono se eu realmente deveria me dar ao trabalho de lutar por esses patifes, em vez de simplesmente assistir, à distância, o momento fatídico em que todos eles vão definhar - e claramente isso vai acontecer, se prosseguirem desse jeito. No entanto, você quer saber - se ainda não sabe - porque isso tudo é pura idiotice. E eu explico.

O primeiro ponto é que estes comentários, no fundo, servem a um propósito: eles desencorajam uma ativista liberal a continuar na causa. Só isso já bastaria. Mesmo que ela estivesse errada - e não está - seria o caso de conversar com a moça, explicar-lhe o seu erro, não simplesmente desmerecer suas ações como se elas não servissem para nada. O segundo ponto é que se eu fosse um militante de esquerda, e se eu tivesse acesso a isso, lançaria em meu blog um texto com a seguinte manchete: "Liberais machistas desprezam suas próprias mulheres." Sim, eu sei que é uma manchete tendenciosa. E quem liga? Isso é uma disputa ideológica, a honestidade intelectual já morreu a partir do momento em que a disputa começou. Não há compatibilidade moral e ética entre liberais e esquerdistas, então esperar honestidade deles é como esperar que o leão não te coma só porque você se vestiu de alface.

Há, ainda, outros fatores que implicam em uma estupidez por parte de quem fez tais comentários. Um desses fatores é que são liberais de araque, de fato. Que espécie de liberal defende um político em detrimento de uma ativista liberal, sobretudo um político de esquerda e fiel apoiador do governo mais corrupto do mundo? É o contato pessoal do deputado? E daí! Acordem, senhores liberteens! Políticos não têm direito à privacidade, não quando somos obrigados a sustentá-los em suas mordomias mesmo sem concordarmos em nada com o que dizem e fazem. O Deputado João Bacelar Filho é filho de outro deputado, que já morreu, e ele está na política já faz tempo. Pelas minhas contas, com o tanto de dinheiro que já dei para ele, tenho o direito de urinar em seu carpete, fumar seus cigarros e dormir em sua cama. E mesmo que eu faça isso pelo resto da vida, ele ainda não terá quitado a dívida. O mínimo - repito: MÍNIMO - que liberais têm que fazer é encher o saco dessa escória. Se for preciso aluguem megafones e gritem até deixá-lo surdo na frente de seu apartamento funcional lá em Brasília.

O último fator, que considero até mais importante do que os anteriores, é a completa falta de oportunismo político. Sejamos claros: Se isso tivesse ocorrido de maneira inversa, como acham que a esquerda agiria? Imagine que uma eleitora de Porto Alegre entrou em contato com o deputado Marcel van Hattem, cobrando dele alguma posição sobre algum tema. Em resposta, ele age tal como o deputado Bacelar, dando cantadas de boteco na garota, convidando-a para o seu gabinete e depois xingando-a agressivamente. O que aconteceria?

Liberais ainda precisam evoluir um bocado, essa é a triste realidade. Além do mais, há o fato indiscutível de que todo esse desrespeito com Maria Eduarda foi completamente desnecessário. Ela o inquiriu educadamente, e mesmo depois de suas ridículas cantadas ainda manteve a postura, agindo com respeito. Se o deputado tivesse apenas bloqueado a garota, se ele tivesse apenas ignorado a mensagem, seria o de menos. A investida dele e as ofensas são um sinal claro de desequilíbrio moral e emocional, para dizer o mínimo. Dar cantada em uma garota que não se insinuou para ele em momento algum é uma mostra bastante evidente de imoralidade, ainda mais em se tratando de uma moça menor de idade.

Repito: Se isso tivesse acontecido com alguma ativista de esquerda, o barulho seria tão alto que viraria manchete no Jornal Nacional. Deixem de ser burros, liberais. Só isso que peço.