20 de setembro de 2015

Olavo contra o MBL? É a melhor notícia do ano... para o MBL.

"Combustível fóssil é o cu da sua mãe." (CARVALHO, Olavo de)

A melhor notícia do ano para os membros MBL foi o fato de Olavo de Carvalho ter se voltado contra eles. Nada poderia ser mais gratificante. E embora eu não faça parte do Movimento Brasil Livre, entendo que se forem inteligentes vão aproveitar essa oportunidade de se livrar do câncer que é o neoconservadorismo olavista.

Olavo de Carvalho é uma dessas sub-celebridades da política. De toda forma, podemos afirmar com toda certeza que há muito tempo ele vem errando, e errando feio. Além de posturas absolutamente detestáveis e equivocadas, além de previsões que se mostram erradas, há também uma dissimulação absurda. O que quer que Olavo tenha feito de útil está no passado, e só quem ainda se importa de fato com o que o velho diz são aqueles que o seguem, os seus fãs. Estes, embora muitos, estão longe de ser maioria. Todo o restante das pessoas sensatas do mundo, sejam liberais ou até mesmo conservadoras, sabem que este senhor não passa de uma nulidade no que tange a estratégia política e resultados. Sua maior conquista foi ter construído uma seita de seguidores fanáticos dispostos a passar todo tipo de vexame para protegê-lo.

Seu ego gigantesco faz com que ele queira ter uma legião de bajuladores. Quando alguém não o bajula, ele fica bravo e diz que a pessoa está a serviço do Foro de São Paulo. O caso com o MBL é bem simples, na verdade. Não requer muita explicação. Olavo simplesmente ficou chateado com Kim Kataguiri algum tempo atrás, e esta semana resolveu soltar os cachorros em cima do garoto devido a uma fotografia tirada ao lado do ex-presidente FHC, a quem Olavo odeia. Nem vou entrar no mérito da questão com o FHC, pois julgo ser irrelevante para entender o que o título deste texto expõe. Em outro momento posso fazer minhas críticas ao MBL.

Importante é saber que Olavo sequer é um conservador. Ele é um neoconservador, tem mentalidade revolucionária e totalitária. É uma pessoa que queima o filme de todos os conservadores e, inclusive, também queima o filme por tabela de quem faz oposição ao PT de modo geral. Todas as ações do homem são um completo desserviço à causa, pois o que ele faz é voltado unicamente a si próprio, de modo que atinge sua sanha por arregimentar idólatras. Ter o apoio de alguém como ele é uma maldição, não uma benção e espero que o MBL perceba isso e aja de acordo. O que recomendo, e o que eu mesmo faria se estivesse a frente do movimento, é tornar público o fato de que Olavo de Carvalho é irrelevante e que ele sequer possui interesse no impeachment, uma vez que luta contra as instituições e tem em seu íntimo o desejo de uma intervenção militar.

Ele nunca se arriscou por nada do que diz defender. O Movimento Brasil Livre pelo menos é um movimento de gente corajosa que se expõe, que se arrisca, que vai à luta pelo que defende. Para alguém na posição de Olavo, que não tem nada a perder - até porque dignidade e caráter ele já não tem faz tempo - é fácil jogar os cachorros em cima e se aproveitar para fazer outra polêmica e surfar em um pouquinho mais de publicidade gratuita. Tendo isso em vista, tomara que o MBL aproveite o momento, que é propício, para cortar de vez os laços com essa corja de imbecis militaristas e fanáticos pelo astrólogo. No início eles perderão alguns seguidores, mas no futuro só têm a ganhar. E vão ganhar muito. Vão ganhar principalmente mais respeito.

E faço aqui uma aposta.

Olavo, a partir de agora, passará a atacar quem luta pelo impeachment e fará as acusações conspiracionistas de sempre, no entanto, quando e se o impeachment der certo e Dilma realmente sair do governo, ele tentará voltar atrás para dizer que foi tudo ideia sua e que isso tudo só aconteceu por influência dele. Claro, as pessoas de boa memória e boa índole lembrarão que foi Olavo quem, na realidade, surfou em cima da luta contra Dilma, iniciada a partir de 2013 com movimentos como Vem Pra Rua e Revoltados Online, chegando a ser ajudado até por figuras já conhecidas como Lobão e Danilo Gentili, sem os quais jamais teria conseguido emplacar o único livro que realmente fez sucesso.